quarta-feira, agosto 02, 2017

Resenha: Neuromancer, por William Gibson

Mais do que uma resenha, vou neste post vou falar um pouco sobre o que esperar de Neuromancer, quem é William Gibson e o que é a trilogia do Sprawl.




O que esperar de Neuromancer


A obra de William Gibson praticamente inaugura o termo Cyberpunk, um sub gênero de Ficção Científica, quando o termo era bastante desconhecido, a ponto de nem o autor saber se era esse gênero mesmo que ele tinha escrito. Publicado em 1984, o livro tem uma linguagem suja, futurista e cheia de termos e jargões próprios. 

É um desafio e tanto imaginar todo o universo que ele constroi ao longo da história. Tudo é novo, diferente e tem nomes próprios. Nem a organização das cidades do mundo são as mesmas, o dinheiro quase não existe fisicamente. E se isso é difícil de conceber para quem vive em 2017, imagine o que foi o lançamento desse livro nos anos 80? Isso é o que torna essa obra única!

Então, a primeira coisa que se precisa entender ao mergulhar nesse universo, é que o início vai ser meio truncado até ajustar as ideias e passar a compreende-lo melhor. Vale dizer que não se trata de um livro mal escrito, mas escrito em de uma forma diferente, sobre coisas com as quais não estamos habituados. E quem gosta de ficção científica (raiz), não tem como não gostar.


Como cheguei ao Neuromancer


A primeira notícia que tive do livro foi nas aulas de Cibercultura na faculdade. Sempre achei que aquelas aulas não tinham servido para muita coisa. Mas, no fim, o professor falava tanto desse livro, de cyber punk e da questão da libertação do corpo e do homem pós-moderno, que algum conhecimento despertou minha curiosidade e me fez (anos mais tarde) recuperar essa obra. Se tivesse lido naquela época talvez as aulas do Rüdiger tivessem sido melhor aproveitadas.



Quem é William Gibson?


Gibson cunhou o termo "ciberespaço", em seu conto Burning Chrome e posteriormente popularizou o conceito em seu romance de estréia e obra mais conhecida, Neuromancer, que é o primeiro volume da aclamada trilogia Sprawl.

O autor idealizou o que conhecemos como ciberespaço como conhecemos hoje (isso explica porque conheci ele em uma disciplina de cibercultura), idealizou ambientes virtuais utilizados em games, e seus conceitos e ideias influenciaram diretamente a trilogia cinematográfica Matrix, de autoria das Irmãs Wachowski. E este é outro bom motivo para ler Neuromancer: quem gosta de Matrix, precisa ler.


O que é o Sprawl?


Sprawl é nome dado à megacidade composta pela junção entre todo o terreno urbano existente entre Boston e Atlanta, incluindo Nova York e Washington, nos Estados Unidos. Por isso, também é conhecido pelo nome de BAMA (Boston-Atlanta Metropolitan Axis, ou seja, Eixo Metropolitano Boston-Atlanta). 

Para terem uma ideia essa informação está no glossário que encontrei nas últimas páginas do Neuromancer. Além dessa palavra, várias outras estão nesse glossário para facilitar/assustar os leitores.

A trilogia do Sprawl é, por tanto, o nome dado ao conjunto de três livros: Neuromancer, Count Zero e Monalisa Overdrive. Histórias diferentes (até onde li de Count Zero) independentes, todas acontecendo no universo criado por Gibson, o Sprawl.


E, finalmente a resenha de Neuromancer


Quando li "Admirável mundo novo", por Aldous Huxley, esperava me surpreender como fui surpreendida em Neuromancer. E agora posso explicar melhor porque daquela resenha amarga escrita antes (leia aqui). A obra escrita muito tempo atrás, sem noção do que viria a se tornar o mundo da ficção científica pode se tornar obsoleta. Como acredito que aconteceu em "Admirável mundo novo". Tudo é espetacular, mas as invenções de lá pra cá são tão mais surpreendentes, que ficamos com a análise dos personagens, do enredo, e isso é fraco. 

Em Neuromancer, também uma distopia futurista, o mundo é outro, bem construído, descrito em detalhes (muitos detalhes). Mistura coisas que temos hoje com outras muito ultrapassadas, que até poderiam não fazer sentido. Mas, estamos observando esse universo sob a perspectiva de quem está à margem da sociedade, roubando tecnologia (na maioria das vezes). Isso explica alguns equipamentos e improvisos. Sempre se tem a possibilidade de do lado rico a realidade ser diferente. E de fato é. Estou vendo isso na sequência, Count Zero.

O enredo é até simples: Cage, um "cowboy" do ciberespaço e hacker da Matrix que, após tentar enganar seus patrões, é demitido e afastado da vida de cowboy para sempre. Como punição pelo seus atos a empresa injeta nele toxinas que o impedem de acessar o mundo virtual. Ele vive em Tóquio numa vida de merda, cometendo pequenos crimes para sobreviver, até que se envolve numa empreitada esquisita e perigosa.

A forma como William Gibson conta essa história é bastante envolvente. Narrada em 3ª pessoa, cheia de diálogos e descrições bastante realistas (algumas parnasinistas até) que nos aproxima dos fatos dando vida aos personagens. Há bastante descrições dos cenários, o que nos permite "ver" os ambientes, a experiência de imersão é muito boa. Quando terminou eu queria ler tudo de novo.

É bom avisar que o livro tem um milhão de personagens, todos bem caracterizados, e isso bagunçou um pouco as minhas ideias. Eu tenho dificuldade para gravar nomes e, como o texto já trás uma infinidade de palavras novas, muitas vezes eu me perdi. Algumas partes eu tive que ler mais de uma vez, às vezes voltava no início para conferir um nome. 

O ambiente virtual é bem confuso, Cage fala com IAs que se passam pelos personagens, menciona os equipamentos, nome de empresas. Mas, nada que uma leitura bem atenta não dê conta de entender e se entreter!

Como eu disse antes, quem gosta de ficção científica, universo cyberpunk, Matrix, inteligência artificial, vai gostar muito desse livro. Pra mim ele foi perfeito. 

E tem a edição nova da Editora Aleph. Um à parte nessa história. Os livros da trilogia são lindos, tamanho ideal, páginas amarelas, cheio de tinta cheirosa (vício). 


=P

48 comentários:

  1. Essa edição é linda demais né?! Babo toda vez que vejoo.
    Ainda não consegui ler, mas tenho muita curiosidade <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bia. Sim, eu pirei quando vi. Tanto que acabei comprando o box com a trilogia, coisa mais linda desse mundo!
      :)

      Excluir
  2. Tenho muita curiosidade em ler ler algo assim. Imaginar o que seria estranho naquela época e hoje é normal, várias coisas hahah
    Um abraço do Marcelo Júnior do Mistérios Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. William Gibson foi tão futurista nessa distopia que nem dá pra fazer muitas comparações. Muito das tecnologias que ele criou pro universo do Sprawl não existe ainda. Essa imersão no cyberspace é uma delas. Parece fantástico e fora as tech de realidade virtual que se vê por aí, que não chegam nem perto, não tem nada parecido. Hehe

      Excluir
  3. Ainda não tive a oportunidade de ler o Neuromancer mas pelo que li aqui na resenha é um livro maravilhoso, é um livro pra se colocar na estante da sala. Para quem é amante de ficção científica esse livro é perfeito. Já fiquei super curiosa pelo livro, Daniele bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom sim. Se surgir a oportunidade, leia mesmo!
      bjs

      Excluir
  4. Me pareceu um livro bastante confuso, mas bem interessante. Gosto desse genero de ficção! Ficou ótimo seu post, e bem explicativo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem confuso mesmo. hahah Mas, lendo as coisas vão ficando mais e mais claras. Eu me apaixonei por esse gênero, o ciber punk. ;)

      Excluir
  5. Parece um livraço, já tinha escutado seu nome por ai, mas nunca tinha lido nada a respeito dele. Adoro livro de ficção científica e esse é com certeza uma ótima sugestão.

    Blog Proposições Literárias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é mesmo. Se tiver a oportunidade, leia!! ;)

      Excluir
  6. Ja ouvi falar muito desse livro, mas infelizmente nunca parei para procurar, mas eu amo livros desse gênero e você despertou a minha curiosidade, ja vou procurar, parabéns pelo post, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Lia. Espero que você tenha oportunidade de ler. bjs!

      Excluir
  7. Oiii
    Já li bastante livro de ficção cientifica embora este eu não vi não é a primeira vez que estou vendo e lendo sobre ele aqui no seu blog que é uma beleza <3 enfim , Me parece um livro bom mesmo eu gosto do tema dele e sobre a capa dele é como o titulo ne rsrsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa edição de Neuromancer é muito linda. Eu me apaixonei assim que vi. Hehehe
      Bjs.

      Excluir
  8. Oi o livro me parece ser muito bom eu adorei o livro não é o tipo de livro que eu leio mais gostei muito beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cyber punk é meio complicado mesmo, entendo! hhehe Obrigada pela visita.

      bjs

      Excluir
  9. Tenho um gosto incrível por ficção, principalmente quando os autores nos presenteam mostrando o mundo que existe neles, um mundo cheio de coisas surreais e até inimagináveis, mas que enchem nossos olhos.
    Pelo que você falou precisa de muito cuidado para entender esse livro, não é verdade? Amo livros assim, porque a gente começa a querer entender o que está acontecendo e mergulhar de verdade nas páginas da obra. Neuromancer ganhou o meu coração nessa resenha, preciso muito ler!!!!
    Abraços ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz em saber que você curtiu a resenha e ficou com vontade de ler o livro. Sim, ele é cheio de detalhas, mas assim que nos acostumamos, a leitura é maravilhosa. Espero que possa ler em breve. bjs!

      Excluir
  10. Eu tenho ficado cada dia mais aficionada por histórias de ficção científica, então imagina quando fiquei quando vi esse post! O Neuromancer eu infelizmente não conhecia, mas felizmente valeu as aulas de cibercultura rsrs. Gostei mt da resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Dai. Se gosta do gênero, dá uma lida em outros posts aqui do blog. Tenho mais resenhas de livros nem tão cyber punk, mas também de ficção científica.

      Obrigada pela visita!
      Bjs.

      Excluir
  11. Oi Daniela, tudo bem?

    Não conhecia esse livro, mas é impossível não ficar curiosa depois de ler sua resenha, que por sinal, está muito completa e chama bastante a atenção do leitor. Eu curto ficção científica, passei a ter maior interesse esse ano e tudo que li me prendeu de uma forma única. Imagino que para a época que o livro tenha sido lançado foi realmente um choque para a população, então agora quero ler mais ainda!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Alice. Eu amei o livro então precisava caprichar na resenha.
      Se tiver oportunidade, leia mesmo porque é massa! hehe

      bjs

      Excluir
  12. Boa tarde, como vai? Confesso que ainda nao conhecia nem o livro e nem o autor, mas achei bem interessante a forma com que você fez essa resenha, pois fiquei com bastante curiosidade de ler . beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas gostei da indicação. Eu Sempre leio distopias, gosto muito de conhecer realidades diferentes da nossa. Não curti o fato do livro ter muitos personagens, nunca consigo gravar o nome de ninguém, mas mesmo assim tentarei lê-lo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Esther. Se tiver oportunidade lê mesmo, é muito bom!
      bj

      Excluir
  14. Mulher do céu, MUITO OBRIGADA POR ESSE POST. Tu não tem noção do quanto eu estava ralando para lembrar o nome do livro. Pra ti ter uma ideia, quase deixei o moço da Sebo aqui perto de casa doido tentando fazer esse descobrir o nome. Eu fiquei interessada por Neuromancer porque um amigo meu quem indicou no dia que fui no cinema ver Ghost in the Shell, o modo ele falava todo empolgado da história me deixou tão curiosa que só me fez querer. Se o Zé Graça não tivesse sumido, eu teria pego o nome novamente mas foi permissão de Odin eu achar essa tua resenha. O modo como nos deu tua opinião e sem spoilers me chamou a atenção mais ainda, amo histórias com muitos personagens, pensa no quanto vou deliciar com essa obra? Ah, a trilogia tá bem baratinha na Amazon, nem vou falar que já tô quase fechando a compra né? Amei a indicação, sério. Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pri!! Fico feliz em saber que te ajudei a reencontrar essa obra. Eu também fico com as dicas e as vezes esqueço. hahah Tu vai amar a trilogia, espero que tenha comprado! Depois me conta.
      bjs

      Excluir
  15. Eu gosto do gênero, embora nunca tenha lido livros do tipo, mas achei bem interessante, eu só conheço esse livro por nome, amei tua resenha e fiquei bem interessada adoro um livro criativo, com personagens bem caracterizado, eu só não digo que vou comprar agoraaaa, pq ando bem preguiçosa para ler e cansada, todo tempinho que tenho ando dedicando ao blog haha mas amei a indicação. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal Suzi. Quando der procura mesmo, se gosta do Gênero, vai gostar muito.
      bj

      Excluir
  16. Gostei muito da sua resenha, apesar de nunca ter ouvido falar desse livro antes. Com certeza, o que mais me atraiu nele foi a capa. Que edição linda, viu?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, o livro tá voltando agora pra livraria com essa edição maravilhosa.

      bjs

      Excluir
  17. Adoro estórias de ficção!!E esse livro parece ser esplêndido!!Quero comprar!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal. Se for mesmo comprar, compra o box da trilogia logo, vale muito a pena.

      bj

      Excluir
  18. Oi daniele tudo bem?
    Já aconteceu comigo tbm de está participando de um seminário de 1 semana e o instrutor falava tanto d sim livro que tomei raiva e foi uma semana daquelas. Passou uns 3 anos acabei ganhando o livro , li e me apaixonei. Aí pensei se eu tivesse lido talvez seria mais agradável aquela semana de seminário. Kkkkk enfim já foi kkkkkk.
    Não sou fã do estilo do livro que vc fez a resenha. Mas, mas... parece bacana.
    Bjocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahah Essas coisas acontecem muito mesmo. Pena que na hora a gente não pensa direito e deixa o ódio dominar.

      bjs

      Excluir
  19. Olá, como vai?
    Por acaso ficção não é comigo, mas como essa história envolve tecnologia e umas quantas trapaças, acho que ia gostar!
    Vou ver se existe cá em Portugal, bj :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, José! Deve ter em Portugal sim. Esse livro é muito antigo e é referência em cyber punk. Acho que você vai gostar, tem muitas reviravoltas e trapaças.

      bjs

      Excluir
  20. ola tudo bem ? não conhecia o livro , mais apos ler sua resenha fiquei super curiosa para saber as diferenças entre epocas oque era sul real ou futurista. Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Trilogia do Sprawl falam muito disso. Os cenários são fantásticos. Recomendo.

      bjs

      Excluir
  21. Olá, confesso que o livro tem uma capa muito bonita e cheia de detalhes, mas eu não curto muito esse gênero (ficção) só que achei a história bem interessante, quem sabe eu não leio algum dia, mas adorei a resenha!

    http://fabiisanto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Fabii. As capas da editora Aleph são lindas. Só pela capa já vale! heheh

      bjs

      Excluir
  22. Achei a capa bem interessante, confesso que no inicio não estava me chamando a tenção.
    Conforme fui lendo sua resenha fui me envolvendo e acabei achando a historia bem surpreendente.
    Bjinhos,
    www.prosaamiga.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cyber punk é tenso! heheh Mas, para quem gosta é bem prazeroso e interessante. Recomendo ler alguma coisa de ficção científica para ver como é.

      bj

      Excluir
  23. Ainda não tive a oportunidade de ver, mas a sua resenha me chamou muito a atenção. Muito bom

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. Eu não conhecia e adorei a aula que você deu explicando de forma clara e direta. Adoro ficção cientifica.

    ResponderExcluir

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...