quarta-feira, dezembro 30, 2009

Extra! Engano musical propiciado pela pirataria.


Extra!
Quem nessa vida já não foi enganado? Seja pela própria consciência ou por outras pessoas. O nosso cérebro é tão esperto, que ele nos faz acreditar naquilo que ele sequer conhece, mas que por ser semelhante a outra coisa, identifica como sendo essa coisa. É por isso, muito provavelmente, que alimenta a imaginação, característica tão própria do humano, tão a flor da pele em crianças.

Pois bem, não vou falar das ilusões de ótica. Quero contar sobe a enganação audível, de uma banda chamada Red Goodbye cujas músicas conheci como sendo do Creed. Os arranjos um tanto parecidos, a voz do vocalista mais grave, passaram pelos meus ouvidos como sendo Creed, a banda estava voltando, embora com a mesma formação, a mudança nas influências é sempre esperada. Pois a enganação se deu até o dia em que fui conferir as letras das músicas; a fraude estava desfeita. Ao mesmo tempo que me senti enganada, fiquei impressionada com a grande jogada de marketing, que se não foi bolada pelo Red Goodbye, bem que poderia ter sido.

Pense: uma banda que teve muitos fãs está para voltar, o nome do novo álbum foi divulgado, o que leva a crer que ele já existe, e se existe, está na internet. As pessoas procuram e encontram um Torrent com todas as canções da banda. Ora! Perfeito. Ao baixarem as músicas notam alguma semelhança, podem até não gostar, mas não descartam a idéia de que seja Creed até que o álbum efetivamente seja lançado. E foi assim que conheci Red Goodbye. E pelo que vi no site da banda [www.redgoodbye.com] e nas pesquisas do google, várias pessoas passaram pela mesma situação. A banda não é ruim, a estratégia como a conheci mereceria prêmio, mas o fato de ser muito parecido com Creed é meio chato.

Segue link para ouvir uma das músicas:


Quando ao novo álbum do Creed, Full Circle. Creed voltou e gravou um álbum seguindo a lógica das bandas que costumo simpatizar, manteve tudo que identifica a banda e que tenato gosto. Esperava alguma mudança devido a "crendice" do vocalista, para quem não sabe, ele abandonou o creed para seguir Jesus, gravou álbum gospel, uma porcaria! Mas a volta foi como se a banda nunca tivesse parado. Tem alguma evolução, é claro, mas aquelas características mais importantes permanecem, seja nos arranjos, os solos de guitarra ou nas letras, que por sinal estão um pouco mais complexas. A maior novidade foi o uso de violões em várias músicas, o que deu um ar meio acústico, um efeito muito bom nas músicas.

Amostra:


E era isso, pra retomar a escrita no que deve ser o último post do ano. Não vou desejar boas festas, feliz natal e ano bom, acho tudo isso uma grande bobagem mercadológica. Espero apenas que todos sigam suas vidas, planos e sonhos!


:)

quarta-feira, novembro 18, 2009

Não sei se foi o tempo, esse clima meio indefinido, só sei que hoje lembrei do pequeno príncipe e da sua vidinha. Ele é feliz com a vida que leva, cativa a maioria das pessoas que conhece, mas sempre senti nele uma certa nostalgia, uma sensação de vazio. E de fato deve haver algo faltando, já que ele mora num planeta só dele, tem uma flor egoísta e vive querendo desvendar mistérios universo a fora.

Pois hoje eu acordei assim, com a sensação de que governo num mundo próprio, e a minha flor pode ser muito bem a minha gata, mais egoísta impossível! Mas eu não ligo, nesse ponto entendo o principezinho, gosto dela mesmo assim. A vontade de não sei o que é o que me incomoda muito mais. Parece que falta, parece que sei o quê, mas é certo que não devo dizer.

Sinto falta de um abraço, de um abraço que em segundos fale mais do qualquer outra coisa nesse mundo.

Vou só deixar esse registro por aqui, passar voando, vou atrás de um cometa que me leve mais além!


quinta-feira, novembro 12, 2009

Eu devo voltar muito em breve para falar de uma porção de coisas! Juro que não é o Twitter que está consumindo o meu tempo e provocando o total esvaziamento do meu intelecto. Muito antes pelo contrário, estou fazendo movimentar essa massa cinzenta, queimando neurônios com trabalhos acadêmicos e estudando para as provas.

Sim, essa minha vida atrasada de estudante...
Mas se quiserem acompanhar um pouco do que ando fazendo, sigam-me: http://twitter.com/danielamattos

Assim que puder eu volto aqui e falo mais sobre essa mídia aparentemente sem sentido. Notando que: o "aparentemente sem sentido" está assim sendo relatado porque ainda não cheguei a uma conclusão sobre a sua função, vantagens e etc.

Um abraço!
=P
.

sexta-feira, outubro 23, 2009

Acordo com pedidos desesperados de socorro: "Clooooover!!!" Imediatamente penso: droga! Estou atrasada! Levo algum tempo ainda para criar coragem e sair da cama, mas o "três espiãs demais" acabou e preciso dar um jeito na vida para o resto do dia, sem um pingo de remorso por ter deixado afazeres de lado, muito menos por não ter lido uma página sequer do texto para segunda-feira, ou estudado para a prova, ou para o ensaio que preciso escrever.
Na noite anterior fiquei jogando Jewel no celular e fiquei compreguiça de "chapar" o cabelo, deixei para o dia seguinte. Então, em frente ao espelho, ajeito as madeixas e me impressiono: como ficaram bons!
Ainda "sonâmbulando" acordo na fila do supermercado onde uma atendente nada simpática está parada olhando para o infinito. A frente dela um senhor de meia idade aguarda a solução parao seu problema: quer efetuar o pagamento (R$3,79) com o cartão de débito da caixa e apareceu "erro 51: não autorizado". Volta e meia a atendente aperta uma campainha, a qual mal podemos ouvir estando ali em frente dela, muito menos a sua superior imediata, a qual eu avistei tagarelando e se galinhando para os meninos num balcão quase na saída, há uns 10 metros de nós. Imediatamente penso: Gente irritante! - Junto minhas coisas, dirijo-me para outro caixa, demoro muito além do que gostaria, mas "azar".
Depois de almoçar e arrumar as minhas coisas, saio rumo as obrigações que não posso deixar de cumprir. Ao primeiro passo rumo a liberdade, a vizinha maluca me faz uma pergunta: Você entende alguma coisa de justiça? Obviamente respondo sem pensar: Nada! - Achei que fosse me livrar mais fácil, mas pra ela tanto faz a resposta, ela quer é falar, fala até sozinha a coitada. Então ela iniciou o seu monólogo e eu só conseguia prestar atenção no que ela falava para tentar identicar o ponto final, ou um ponto e vírgula que fosse para sair correndo. Penso imediatamente: Que droga! Hoje é o meu dia!
Assim que me livro dos assuntos de justiça da vizinha estranha, olho para o céu e deparo-me com uma nuvem imensa e negra que se aproxima na velocidade do vento, o qual revira meus cabelos, aqueles que haviam ficado perfeitos. Sem pensar, porque o atraso já era grande, fui me dirigindo a parada do ônibus (parece redundância para gaúchos, mas é preciso para os leitores do restante do país, aqui não se diz "ponto" e me nego a escrever dessa forma) ao me aproximar da avenida, lá se vai o T8. Eu conheço aquele formato de ônibus, só pode ser ele. Imediatamente penso: que se dane!
Aproximando-me do vale, lá estão elas, gotículas de chuva respingam os vidros das janelas do ônibus, imediatamente penso na sacola em que acomodei o meu lanche da tarde: se não tiver outro jeito, atravesso o campus com a sacolinha na cabeça! Só eu sei a dureza que é cuidar para que os cabelos fiquem assim.
O restante do dia transcorreu serenamente, quase perdi o T10 a caminho do trabalho, recebi uma notícia nada agradável, mas compreensível. Tive que começar a rever meus conceitos e repensar as metas pré-estabelecidas. A cada dois meses parece que tenho que mudar tudo mesmo, já estou acostumada!
Deparei-me hoje com informações no twitter e resolvi pesquisá-las, para ver qual o fundamento, para saber o porquê de certos comportamentos. Foi então que me aliei a Franscisco Rüdger, o qual banaliza e ridiculariza redes sociais e seus participantes. Como pode um estudioso da área de cibercultura, que tanto tem a acrescentar, de repente, seguir e se aliar aqueles cujo esvaziamento intelectual já se deu por completo e repetir um "vírus" tão imbecil? Cada vez mais reafirmo a minha hipótese de que esse tal de twitter veio para esvaziar a leva que ainda não se esvaziou por pura teimosia. E me deixa estupefata a idéia de que pessoas com tanto conhecimento e experiência acadêmica consiga realmente se aliar a esse meio! Será caso de estudo se houver o esvaziamento, e se isso acontecer, quer ser uma das estudiosas envolvidas.
E o que essa conclusão tem haver com a minha crônica de mais um dia como todos os outros? Ora! Simples... Ela é tão vazia quanto.

segunda-feira, outubro 19, 2009

Sobre mim



Quem se importa se eu minto, se finjo ser o que não sou para me proteger, para me esconder ou para o que quer que seja?

Quem pode estar interessado, se nesses anos de vida tudo o que vejo parece não ser importante se não estiver relacionado com o outro?

De que adianta estudar as pessoas e as relações humanas se, no final das contas, não podemos dizer o que sabemos, se precisamos ficar quietos para ser socialmente aceitos, viver em paz e arrecadar umas moedas baratas que não compram coisa alguma, apesar de terem nos custado muito suor do rosto?

Não, esse não é um discurso pessimista, sequer realista - é apenas o desabafo de alguém que tem passado dias ótimos pura e simplesmente por fechar os olhos a maldade humana, aos ditos "problemas do mundo". Sabemos que todos os problemas estão relacionados aos seres, que são eles, os habitantes desse planeta os responsáveis por tudo o que acontece.

Emporcalhamos a nossa própria casa, enviamos porcarias para o espaço, tiramos os animais do seu habitat e os incluímos no vício capitalista, viciando-os em comida industrializada, acabamos com seus instintos selvagens a ponto de deixá-los totalmente dependentes dessa porcaria enlatada, depois os jogamos na rua, os expulsamos quando nos vêm implorar por comida. Sem falar dos que são mortos por não poderem ser domesticados, ou daqueles que parecem dar bons casacos, botas ou bolsas - tudo para alimentar a máquina porca capitalista tão beneficiada com as futilidades. Tudo o que for temporário e breve deve ser explorado ao máximo, há tempo de render muito antes que acabe, desde que sobrem alguns exemplares a serem idolatrados, venerados e muito bem pagos.

Falava da farsa necessária, e acreditem ou não, está tudo relacionado, porque tudo leva ao estranhamento humano diante desse mundo real que nada tem haver com o imaginário fantasioso que cada um trás consigo. A auto análise, e a análise incompreendida do mundo e dos demais seres a nossa volta nos transformou em seres extremamente individualistas? Será esse todo o mal da humanidade? Eu não sei, não sou humanista, muito menos pós-humana. Sou um ser que respira. Dentro de mim pulsa um músculo que nutre meu corpo e meu cérebro fazendo-o pensar e crer que, em função disso, existo.

Esse mesmo ser que quer se abrir para o mundo e absorver tudo o que for possível e proveitoso, esbarra já nesse limite: o que é proveitoso para mim, é também para os outros? Se outros conseguirem alcançar o que penso que quero, sentir-me-ei mais feliz? Se outros assistirem aquilo que pensam que é o que eles queriam, estaria minha vitória ameaçada?

Certa vez uma pessoa me olhou e sumiu da minha vida, segundo ela porque não podia conviver com a certeza de que nunca seria como eu. Até hoje não entendo como essa pessoa pode ter pensado tal absurdo. Não que a minha vida seja a pior, mas está longe de ser o "ideal" de quem quer que seja... Pelo menos para quem quer que seja que esteja observando as coisas pelos meus olhos, que pense e sinta como eu.
O que quero dizer com tudo isso é que, não importa o que eu faça, mesmo que eu disfarce, ou simplesmente omita a realidade, as pessoas vão sempre achar o que bem entenderem, se não entenderem encontrarão respostas sem me perguntar, isso é certo!

E assim, pessoas vão e vêm, sem nunca me conhecer de verdade, sem nunca saber o que realmente sou, sem nunca imaginar se tiveram ou não alguma importância para mim, por mais que estivessem, em alguns momentos, sendo invejadas por mim, por mais que estivessem servindo de modelo, do que deveria ou não seguir.
Há algum tempo que parei de falar, para ouvir mais, que parei de atuar, para assistir, para ter o que opinar... E há tempos que percebi que sou rara por agir assim. Ser humano hoje em dia é pedir para ficar à parte, ser analisado, estigmatizado. Mas eu não me importo, porque nesse mundo capitalista que prega a individualidade, ninguém liga, ninguém realmente se importa, a menos que isso lhes afete coletivamente.

Uma boa forma de começar a semana!
.

quinta-feira, outubro 08, 2009

NeedToBreathe - E toda ironia que posso aqui relatar!


Muito por acaso, afim de encontrar músicas diferentes, vasculhei a internet atrás de músicas de uma banda desconhecida chamada Needtobreathe. Escolhi essa banda por gostar de uma música [More Time] integrante da trilha de um filme [P.S I Love You] que eu costumava ouvir. Pois bem, acabei gostando do primeiro álbum que baixei e assim foi com os outros dois. Muito provavelmente pela preguiça de trocar as músicas do player, tenho ouvido muito as músicas dessa banda nos caminhos que percorro ao longo dos dias. Tenho me familiarizado muito e gostado do estilo, às vezes canso, mas sempre acabo voltando a ouvir...

Hoje, pra fugir dos estudos massantes em cibercultura, caí no ciberespaço atrás de vídeos dessa banda; conheci a performance ao vivo em diversas situações, achei interessante como o estiloso vocalista, dono de uma voz singular, tem traços da cultura grunge dos anos 90. No site oficial da banda [www.needtobreathe.net] li que uma de suas influências, como fica evidente para quem vê e ouve a banda, é o Pearl Jam. É inevitável comentar a semelhança do vocalista com Kurt Cobain, e certamente esse ponto deve tê-lo levado a evitar de comentar essa influência, que, sim, parece ser mais uma delas, assim como o U2, o que achei barbaro, e outros citados na biografia da banda.

Bom, falando sobre a música, não é totalmente nova, às vezes, ao ouvir um álbum, tem-se a impressão de estar ouvindo uma coletânea de canções de seriados americanos. Sim, as músicas são um tanto bregas... Mas têm o seu valor por exporem, além de sentimentos em palavras, palavras não tão cretinas, certas, muito bem escolhidas, misturadas a pegada de guitarra e cantadas por um vocal com muito estilo. A primeira vista, uma banda meio folk, "More time" tem um estilo um tanto diferente das demais, entretanto, o bom e velho rock 'n roll é muito presente em praticamente todas as canções dos dois primeiros álbuns de forma muito marcante e original como em "Nothing Left To Lose", "You Are Here", na apoteótica "Don't Wait For Daylight" ou na bonitinha e perfeita "Looks like love".

Com o intuito de mudar um pouco os temas aqui tratados, apresentando um pouco do meu dia-a-dia, achei que seria interessante mostrar algo de novo. Então, segue um vídeo com a música que desencadeou esse princípio de "adoração" à banda. Coloco entre aspas porque não chega nem perto de um fanatismo, mas acredito que valha a pena comentar, apresentar...

A ironia fica por conta de algo que li em diversos sites mas não pude acreditar: a banda é gospel (Justo eu!!!! =P), ou teve seu início vinculado a esse gênero, não pude entender ao certo e confesso: não fiquei muito preocupada em pesquisar! Sem contar as demais "marcações", relacionadas aos últimos tempos, feitas em algumas músicas de alguns álbuns que ao mesmo tempo que trazem lembranças e desesperanças, confirmam, inovam e me animam.

Mas, chega de conversa por hoje...
*Infelizmente não encontrei uma versão com áudio bom e ao mesmo tempo, que fosse fiel a versão primeira que ouvi, a mesma da trilha para colocar aqui! Mas creio que a música já esteve em evidência aqui para os frequentadores do blog! ;)
.

quinta-feira, setembro 24, 2009

Sem medo de contribuir com o encadeamento midiático, preciso expressar aqui a minha indignação com relação a esse falatório em torno do aumento do salário dos nossos empregados "Felas da powtas" em Brasília. Eu sei que deveria manter o nível e procurar um sinônimo um tanto mais discreto para esse post, mas não posso evitar.

Às 8h da manhã essa pessoa que vos escreve estava em frente a TV, não mirando a caixinha luminosa hipnotizadora, mas calçando suas botas para mais um dia longo de estudos e trabalho, quando ouço comentários sobre o descontentamento do senado que está invejando a iniciativa dos seus colegas de trabalho, os quais aumentaram os seus salários. Essa conversa eu já havia ouvido por alto na noite anterior, mas foi a frase de um senador que, eu juro, vou procurar saber quem é, que me revoltou, disse ele: "Nós merecemos um salário digno, assim como os nossos colegas da justiça"!!!!

Meu amigo, milhões de brasileiros, com ou sem escolaridades, e até os bem sucedidos em suas carreiras estariam satisfeitos com o seu salário atual, com ou sem os tantos benefícios que a "vossa senhoria" já recebe!!!! E você reclamando um aumento? Em rede nacional, para a gigante e internacional rede de telejornalismo, você lança um comentário desses sem um pingo de vergonha nessa sua cara????

Como eu queria "de verdade" ser chefe dessa corja, com plenos poderes, de uma organização centralizada nada burocrática!!! Temos um poder que não é exercido. Nessa hora, invejo os "hermanos" que estariam todos nas ruas batendo suas panelas em sinal de protesto!!!

Quanto ao palavrão mascarado, citado acima, peço desculpas por não ter expressado um que causasse mais impacto ainda, porque só soltando um mega palavrão para tentar aliviar essa irritação causada por essas pessoas que por nós foram eleitas!!!

Às vezes penso em aderir à campanha "Vote Nulo", mas penso que eles não respeitariam nosso protesto e inventariam uma emenda para que continuassem no poder, já que o povo não quer decidir!!!! E ririam ainda mais da nossa cara...

Hoje estarei, em sinal de protesto, simbolicamente, com meu narizinho de palhaço - sim, porque não vejo explicação melhor para que um bilhão de pessoas fique sabendo dessa estória, para que metade delas tenha ouvido essa lamentável reclamação do nosso senador, e ainda estejamos todos trabalhando, estudando e fazendo o que quer que seja em nossas vidas que não seja protestar!
.


sexta-feira, setembro 18, 2009

Sempre o Guilherme Palma!
Quero muito agradecer a companhia cibernética desse amigo blogueiro de longa data! Sempre motivando-me a escrever e, principalmente, interagindo e não apenas criticando os temas do(s) meu(s) blog(s).

Abaixo mais dois selos ao Sabe o que é? oferecidos por ele! :)
Fico lisongeada com a sua participação, mais ainda com as suas indicações!








Vou passar o selo para dois amigos blogueiros que acredito serem merecedores desse incentivo:

- [Let Lee]: http://imletlee.blogspot.com/
- Blogg do Raffa: http://raffablogg.blogspot.com/
- solitude words: http://mysolitudewords.blogspot.com/

:)

Meme Rock

Eu nunca havia participado de um meme[2]. Recebi a indicação do Guilherme Palma há algum tempo, hoje cumpro a promessa, Gui, dando continuidade. É esse, também para mim, um tema gratificante; Rock. Segue:





Top of My Chart: Pearl Jam

Best of the Best: Elvis Presley

Made In Brazil: Legião Urbana

A Rock Girl: Janis Joplin

A Rocker Boy: Michael Stipe

My First Album: DOIS, da Legião Urbana

Five Rock Legends: Jerry Lee Lewis, Elvis Presley, Michael Stipe, Kurt Cobain, Eddie Vedder, Robert Smith

Who Brought Rock to My Life: Minha mana

An Unknown Rock Band: Hot Hot Heat

Eu fui: Pearl Jam e R.E.M

ps: não é a forma mais criativa de "reativar" os posts, mas já serve para dizer: Helloooo!! :)

.

sábado, agosto 15, 2009

Há algum tempo esse blog parece abandonado, mas visito-o todos os dias e penso que ele deve ser atualizado, mas encontro dificuldade sobre o que escrever, então vou adiando. Preocupei-me demais com o que escrever e até deixei de publicar coisas que para mim e para a idéia que sempre tive desse blog, seriam legais.

E tudo para quê? Ora! Essa mensagem é para você que critica o que escrevo quando não te agrada, mas sempre exigiu atenção mesmo para todos os seus assuntos! Sim, hoje eu vou falar de música!

Alilás, deveria publicar aqui informações sobre música, minhas preferências e etc. Estava mesmo pronta para fazer isso, quando me dei conta de que não saberia o que escrever! Uma coisa que parece muito simples, de repente... Isso!

Travei! Assim como o meu computador tem travado seguidamente. Ele me exige memória!!! Mas ainda não consegui resolver isso. Quanto a mim, estou bem de memória, e talvez esse seja o meu problema, preciso dar um jeito de esquecer certas coisas e me focar em outras!

É realmente bizarro eu não conseguir falar de música de forma tão objetiva, minhas idéias se fundem, sempre penso em música de forma abstrata, analiso letras, pessoas, momentos. Ontem mesmo, ouvindo "anos 80", festa, festa, festa, via pessoas felizes a minha volta mas realmente não pareciam muito preocupadas com a essência das músicas que as faziam chacoalharem seus esqueletos; já eu, parava para curtir cada uma delas antes de qualquer coisa. Pra umas mais, pra outras menos... Natural.

È certo que é o momento, e que isso vai passar! Estou certa disso...

Meme Rock: era isso que eu precisava fazer... Guilherme, juro que faço isso assim que me sentir menos emo e consiga expressar objetivamente alguma palavra! ;)

.

terça-feira, julho 28, 2009

Virou notícia!
Todos os dias pela manhã passo em frente a uma delegacia no caminho para o trabalho. Nunca observei qualquer movimento. Às vezes tem uma viatura parada na frente, mas isso é muito raro. Pessoas? Aquelas fardadas? Nunca as tinha visto por ali, "até o dia de hoje"!

Pois não é que quando desço a minha rua e dobro a esquina me deparo com um "repórter" gravando uma "reportagem" em frente a delegacia que tem aqui perto de casa? E mais, atrás dele, pousando para a câmera, dois, EU DISSE DOIS, brigadianos em posição de "entrando ou saindo" da viatura... Um pouco adiante, outra viatura parada, em posição glamurosa, parecia coisa de cinema. E por perto outros brigadianos, olhando a paisagem...

Sobre o que era a reportagem? Isso eu não ouvi, não perguntei... Mas ouvi bem quando terminou e o "repórter" agradeceu aos brigadianos, que logo saíram daquela pose ridícula e aos poucos todos foram se dispersando... Eu não fiquei para ver o resto, mas devem ter colocado as viaturas de volta em seus lugares e voltado pro mate dentro da delegacia. Só um doido ficaria na rua com aquele frio da manhã de hoje!

Na hora lembrei do Shownalismo tanto falado no ponto de vista, e senti pena dos pobres fotógrafos que perderam uma grande chance de fazer uma fotinho, aproveitar que o "repórter" já havia conseguido uma posição, uma cena, um momento bem único para gravar a sua reportagem.

Passei o dia entretida com outras coisas, acabei esquecendo-me dessa, mas, cheguei em casa há tempo de assistir um trecho do Jornal Nacional. Não, eu não vi a reportagem gravada aqui perto de casa! Seria legal, né? Mas, não... Vi um político medíocre (não sei pra quê a redundância) queixando-se que o acusaram de ter ameaçado outro parlamentar que teria decidido jogar uns podres do Sr. Sarney no ventilador. A forma de defesa que ele NEGA, teria sido denunciar um parlamentar desse partido, conhecido pelo nome de um bicho tão lindo, de umas falcatruas que ele inclusive já teria confessado.

Gente, isso é um problema, observem: o ladrão está na fogueira. Daí, um cara vai ajudar a jogar lenha, e ameaça desistir porque outro estaria querendo jogar o amigo dele na fogueira também!!! Ele conta isso como uma coisa ruim, e o outro se defende, dizendo que não faria isso, que "isso não seria uma boa atitude para preservar a democracia(...)" O cara se defende dizendo que vai deixar o ladrão isento???

Democracia teria virado gíria no senado, que agora trata corrupção como democracia para não levantarem mais suspeitas?

Quando pensei em escrever sobre a "reportagem", pensei num discurso sobre a fome no mundo, a falta de consciência das pessoas sobre o planeta!!! Mas temos coisas mais urgentes para pensar agora... Apesar disso, a TV continua falando e mostrando esses caras estranhos e falando da tal da gripe A.

Mas, sobre o que será que era a reportagenzinha com os vizinhos ali, né?
=/

quarta-feira, julho 22, 2009


Como encontrar as respostas para nossas vidas?
A cada dia, acordo e vou agindo automaticamente, seguindo a minha rotina sem pensar, faço o que é preciso fazer, ainda que essas ações de "precisas" não tenham nada. Sem pensar se estou certa ou errada, a vida segue. E sempre que resolvo parar e pensar no que estou fazendo, vem a dúvida: será?

Pois todos os dias quando acordamos, temos a chance de mudar o mundo, ou a nossa vida, mas o que fazemos é seguir a nossa rotina procurando ficar o mais confortável possível. Eu não consigo entender os porquês, eu não consigo resolver as equações que se formam na minha cabeça dando um baile nos meus neurônios.

Ontem recebi orientações maravilhosas de como viver bem, de como não me entregar, de me valorizar e a principal orientação era: viva mais e pense menos!

As mudanças não podem acontecer com segurança se não forem bem pensadas, muito bem planejadas. Caso contrário, em muito pouco tempo, estarei seguindo uma rotina irritantemente chata, totalmente ao contrário da que gostaria de estar vivendo, passando por situações inesperadas e desagradáveis: exatamente como agora!

O planejamento é a alma de uma vida segura. E uma vida segura é tudo o que tenho buscado. Segurança e conforto, sem opressão, com muita vida! Vou continuar pensando, até que consiga encontrar uma solução, enquanto isso, amigo, vou agindo sem pensar nas automaticidades e chatices que a minha rotina me reserva todos os dias... Por mais que isso te decepcione!

E segue o baile!
=/

sábado, julho 11, 2009

Só por hoje não vou tomar minha dose de você...Pra falar das coisas do coração!
Outro dia me cobraram que eu não falava do que se passava de mim aqui no blog. O que essa pessoa não sabe, e deveria saber, é que abri um espaço para falar de coisas mais desinteressantes, tais como eu e minhas reflexões, lamentações e esquisitices... De qualquer forma, creio que possa, sim, falar um pouco dessas coisas aqui no Sabe o que é? sem interferir nem criar concorrência com o "outro lá" (referindo-me ao outro blog).

Quando eu tinha 11 anos de idade recebi um conselho da minha mãe e o segui. Arrependi-me muito do que fiz, porque fiz o que eu não queria, mas, depois de feito, estava feito. Aos 29 anos de idade, recebi um conselho da minha mão novamente, e dessa vez, com toda segurança que tenho nas minhas ações, pelo menos em algumas delas, resolvi seguir esse conselho: ainda não me arrependi, e creio que isso não vá acontecer tão cedo!

Muito curioso o que acontece ao longo da nossa existência no que diz respeito a relacionamentos: mesmo sabendo que a ação a ser tomada vai nos prejudicar, quando sabemos que é o certo a se fazer, é o que fazemos sem pensar. O que posso dizer é que, tanto para uma criança de 11 anos, quanto para a de 29, a decisão não foi fácil, mas me trouxe de volta a realidade.

A realidade nem sempre é uma situação desejada, eu preferiria mil vezes viver num conto de fadas, mas, essa é a principal diferença entre eu e a pequena Dani de 11 aninhos de idade: hoje eu sei, que por mais dura que seja a realidade, ela ainda é a mais sensata e segura para se viver.

Repito: saber da verdade, não nos protege de querer viver na mentira. E deve ser por isso que quando dormimos, nosso subconsciente nos leva diretamente para onde não podemos ou não devemos estar, e acordar se torna um pesadelo do qual não podemos fugir.

Sempre ouvi dizer que o tempo é o melhor remédio. E o que posso dizer é que não quero conhecer o pior - essa homeopatia que deveria pôr tudo para fora, mais parece brincar com os nossos sentimentos ao trancafiar tudo aqui dentro, podendo voltar a qualquer momento!

Mas, deixemos isso de lado, já chega desse "amontoado sentimentalista de clichês"!
=/

quinta-feira, julho 02, 2009


Bichos de rua: o problema é nosso!


Vou fugir do encadeamento midiático e falar de alguma coisa mais útil para a sociedade, pra variar! Há tempos que não falo disso no blog, e tenho sentido um pouco de remorso, por isso, devido a alguns acontecimentos, decidi bater nessa tecla outra vez.

Diariamente pessoas pegam cães e gatos para criar, algumas "que se acham ricas", compram seus bichinhos de estimação. Não sou contra as pessoas que realizam um sonho de ter determinada raça de cachorro, mas... Deixemos esse debate para uma outra oportunidade.

Agora quero falar das que pegam os bichos para criar achando que são objetos de decoração, e não um ser vivo. Quando isso acontece, se o bicho é temperamental, se ele é bagunceiro demais, se demora a aprender a se comportar com as suas necessidades fisiológicas, se cresce mais do que o previsto (por que a sua dona não se preocupou em saber o porte dele) ou se o seu dono muda os estofados da casa e ele já não combina mais com o ambiente, adivinhem o que acontece com esse ser vivo?

Mas, vamos supor que tudo deu certo e a pessoa está tolerando aquele bichinho, na maioria das vezes, não toma os devidos cuidados contraceptivos. Quem tem bicho macho então, nem se fale! Ninguém costuma se preocupar com os passeios do seu gato, do seu cachorro. Os donos das fêmeas é que ficam com o problema. Sim, porque eles também não se preocupam em proteger a sua menina e a deixam por aí, seguindo seus instintos. Bom, agora me respondam: para onde vão os filhotes indesejados?

Existem muitas alternativas para resolver esses problemas, a mais conhecida é "RUA". Mas, tem aqueles que afogam, que amarram num saco e jogam no lixo, tem aqueles que largam em agropecuárias/pet shops, como se essas empresas tivessem a obrigação de cuidar dos bichos... Raros são aqueles que tratam e doam com segurança os filhos dos seus animais domésticos, e isso é uma vergonha! Sofro de pensar nos bichos soltos pela rua, sem dono, que muitas vezes não têm sequer chances de sobreviver.

Quando se adota um animal, é preciso levar em consideração que ele é um ser vivo, que ele vai durar anos e que estará sob nossa responsabilidade por todo o tempo em que viver. Que se não queremos que eles procriem, devemos tomar as medidas cabíveis para impedir que isso aconteça, e se falharmos, devemos assumí-los!

Hoje soube de uma gatinha que foi abandonada na rua, filhote, largada no meio da noite em frente a uma pet shop, onde será examinada por uma veterinária! Essa, apesar das complicações que pode vir a ter, teve sorte. E terá mais ainda se puder ser minha! Farei a minha parte, cobrirei a irresponsabilidade daqueles que acham que um ser vivo, pode ser tratado como uma coisa ruim, da qual precisa se livrar.

Se tudo der certo, amanhã a Mitsy estará comigo!!!
Não vejo a hora!
:)

Se mais alguém quiser um bichinho, acesse o site:
http://www.vidadecao.com.br/cao/index2.asp?menu=entidade.htm

Um guia com diversas entidades que estão tentando encontrar um lar para os animais abandonados!
.

quarta-feira, junho 24, 2009

Esmagando a concorrência!
O semestre está acabando... \o/
Vivas e comunicação social, que nos faz perder tempo em redes sociais! Ganhamos experiência online, mas perdemos nas leituras obrigatórias, nas pesquisas de opinião, a história da comunicação fica comprometida, não conseguimos passar a idéia sobre a cidadania dessa comunicação, mas a comunicação visual está em dia!

E é disso que venho lamentar: de ter tido menos daquilo que mais gostei! E parece mesmo que isso "são coisas da vida". O que mais nos desperta o interesse é aquilo com o que acabamos tendo menos contato, mas, apesar disso, o que se leva de positivo é que essa exposição limitada é o que nos impulsiona ao infinito!

Nesse caso, (avaliação final do semestre, sempre pensei em fazer, mas acabava deixando de lado) o que mais me motivou, fez me repensar tudo, inclusive por que levantar cedo e ir para a aula quando queria mais era estar dormindo, dessa vez não foi a minha mãe dizendo: estuda se quiser ser alguém, mas as idéias de um pseudo-maluco, professor e pessoa adorável, um Relações Públicas.

Foi ali que descobri que quero mesmo ser uma Relações Públicas, que vi o que quero e, principalmente: o que não quero e não posso me sujeitar a fazer!!! Idéias simples, estórias muito bem contadas, um mundo de informações que fizeram a diferença. Não só o blog mudou de visual, de perspectiva, não só pelos meus novos blogs com propostas diferentes, mas a mente se abriu, minha imagem, posso dizer, também mudou!

Esse semestre vai deixar uma mancha no meu currículo e, apesar disso, estou considerando um dos melhores, porque quem sabe o que quer, tem todas as chances de chegar aonde quer!

:)

terça-feira, junho 16, 2009


Eu não vou falar sobre política, vou falar sobre a minha ignorância no que diz respeito a esse tema!
Tenho assistido televisão ultimamente, coisa que não costumava fazer. Mas, tenho assistido de forma diferente do que a maioria das pessoas que eu conheço. Mais do que tentar me distrair, reparo no que estão dizendo e juro que na maioria das vezes não entendo o que falam, ou não entendo do que estão a falar, ou o que é pior: não entendo o porquê de falar.

Só hoje me dei conta a ponto de me sentir incomodada com a tal da "crise no senado". Isso porque ouvi o presidente do senado discursando. Eu cresci ouvindo que o Sarney era corrupto, "ladrão" e ouvi muitas pessoas comemorando o fim do mandato dele. Agora o político "ladrão" da minha infância está discursando que o problema no senado não é dele, é do senado. Ora! O problema de um grupo não é também daquele que o representa?

Mas, afinal, o que é mesmo que este senhor faz no senado, ou, na presidência do senado?

O Fernando Collor de Melo tem site na internet, estiloso e moderno como sempre. O presidente que renunciou ao cargo para evitar um impeachment tem site contando a sua história, adivinhem, não fala nada sobre os tumultos do seu mandato. Quer saber qual a relação desse assunto com a do Sarney? Pra mim eles são iguais, então, quem votou no Sarney, já sabe em quem mais pode votar! Mas eu não entendo nada de política, estou apenas devagando...

Os estudantes tiveram papel fundamental em diversos momentos importantes da nossa história, e hoje, o que vemos são as ruas cheias para três principais motivos: carnaval, futebol ou parada gay. Sendo que dessas três apenas a terceira teria alguma justificativa interessante, não fosse uma "luta" em prol do "orgulho" de ser gay. Sinto-me em desvantagem, quero uma parada "hétero", pelo orgulho de ser. O espaço deve ser mantido, a violência contra esse ato extinguida, mas ter orgulho de sua opção sexual? Menos...

Quanto aos estudantes, siga o persionkiwi no Twitter, um dos muitos estudantes que estão lutando no Irã contra a repressão do governo corrupto que provavelmente burlou as eleições em seu favor e agora está impedindo a imprensa internacional de documentar os protestos populares e estão veiculando apenas os protestos que lhe interessam, que os defende.

Mas no Irã a internet ainda é livre, ao contrário do que acontece no Brasil, então o povo se organiza, busca aliados e apoio pela internet, assim, nos mantemos informados.

Enquanto isso em terras tupiniquins, a imprensa que estava focada na tal da "gripe suína", depois teve que migrar para o Recife atrás do airbus, agora está dividida entre a copa das confederações e a parada gay.

E o povo, o que não está correndo atrás de uma bola, está correndo das balas na linha amarela na grande guerra que nunca acaba, ou assistindo os políticos fazerem a sua política, encenando a sua vida de honras, ou simplesmente aguardando os novos capítulos da sua novela favorita.

E eu, deixando o relatório final do semestre de lado para me dar ao luxo de me indignar com algumas coisas que assisti na televisão enquanto deveria estar estudando.

.

domingo, junho 07, 2009


Há tempos não assistia cena tão bonita!
Quele dia havia se anunciado de forma colorida e lírica nauquela manhã. Aquele sorriso, no conjunto "olhar + admiração" só poderia se completar depois da cena antes mencionada.
Uma criança subia às alturas no balanço de uma pracinha qualquer. Por dois segundos voltei no tempo e lembrei do frio na barriga que dava balançar-se com tanto empenho, o que não intimidava, e pelo visto, continua intimidando criança alguma.
E são experiências como essas, que deveriam ser vividas por todas as crianças, que me encorajam hoje a dizer "sim" para tudo aquilo que prometa "frio na barriga", emoção, realização.



Isso é viver!
Como só as crianças sabem.
Mas que podemos arriscar procurar reviver.
E viva as brincadeiras nas pracinhas!
(:

terça-feira, maio 26, 2009


Seis, quatro, três ou dois?

Somente hoje, 26/05 foi anunciado oficialmente que houve um problema de vazamento radioativo em Angra II no dia 15/05 (mais conhecido como semana passada). Ouvi a notícia num telejornal e vim para internet pesquisar. Os resultados da pesquisa?

Bem, a reportagem do telejornal dizia exatamente o que está publicado no site do governo. Os demais sites de notícias complementaram, enfeitaram e disseram praticamente a mesma coisa, porém, notei uma certa discrepância no que diz respeito ao número de funcionários envolvidos e contaminados! Afinal, 6, 4, 3 ou 2??

Bom, essa falta de precisão nos dados, e a demora para veicularem a notícia, deixou-me um tanto preocupada. Até por um fator que considerei bem importante: vários blogs divulgando a notícia exatamente como os sites de notícias. Em nenhum encontrei posição, desconfiança ou questionamentos sobre o que houve. Isso vai totalmente de encontro ao que estou escrevendo em meus artigos acadêmicos, a ponto de eu colocar em dúvida e eficiência e o caráter opinativo dos blogs.

É muito curioso chegar a uma conclusão dessas, porque assim que vi a reportagem pensei em pesquisar sobre o assunto para ver se o que estavam falando era verdade, se tinha algum caráter conspiratório, se não estavam escondendo ou mascarando alguma coisa. E, no entanto, a maioria dos blogueiros correu para divulgar o fato tal como ele foi apresentado. É claro que não temos como saber se isso realmente foi divulgado tal como aconteceu, mas cabe a nós debatermos e pensarmos sobre tudo isso.

Espero que a internet não reproduza a risca o que se vê na mídia tradicional como TV, Rádio e Showrnais*, replicando tudo com o intuito apenas de publicar a notícia, seja como for, desde que seja antes de todo mundo. Porque a Internet, embora não totalmente, ainda é um espaço público e livre para expormos nossas opiniões e eu quero acreditar nisso, até pra fazer isso acontecer!
* referência a expressão usada no blog ponto de vista

Enquanto ouvia a reportagem lembrei de uma música antiga e que, pra variar, tem muita relevância ainda hoje:

"Vamos brincar perto da usina
Deixa pra lá a Angra é dos Reis
Por que se explicar
Se não existe perigo..."

E esse trecho me remete a outro, com o qual encerro esse post!

"Quando as estrelas começarem a cair, me diz pr'onde é que a gente vai fugir?"
Letra: Renato Russo

sexta-feira, maio 22, 2009

Quem quer 15 minutos de fama?


Assistir TV! Está aí uma coisa que há algum tempo não parava para fazer. Essa semana, nocauteada por uma amigdalite, passei mais tempo em frente a TV do que gostaria, e o resultado? Uma crítica para postar no blog. Sim, por hoje ficaremos com uma, apenas.

Antigamente, quando éramos tentados a participar de uma promoção, normalmente, era pela audiência, ou pelo "top of mind" de um programa de TV ou de rádio, mas hoje em dia não. Percebi que a maioria das promoções requer mensagens sms. OU seja, gastamos uns centavos para participar e eles ganham com isso, e nem sabemos como é a apuração e quais as reais chances de ganharmos. Antes tinha o sorteio das cartas, que era bem emocionante, mas agora, como se finaliza isso?

É leilão... Como sabemos quem deu o lance mínimo, se foi o mínimo mesmo, se não é o vizinho do apresentador?
É quiz... Quantas mensagens temos que enviar e quem garante que nos saímos melhor ou pior do que o apresentado como ganhador?

E o que considerei mais triste: usaram a imagem de um cara que está em destaque na tal da "êmetevê", que nada mais tem a ver com uma "music television", para ganhar ainda mais dinheiro com os retardadinhos adolescentes que vão querer o tal do programa "no seu quarto" por quinze minutos! Mas, que absurdo!

Essa tal emissora deveria se envergonhar do papel que tem representado, seguindo a ordem do sistema, ao invés de promover mudanças nas cabeças dos adolescentes. A "êmetevê" tem o poder de atingir esse pessoalzinho sem nada na cabeça e, ao invés de nitri-las com informações relevantes, transformam esse imenso vazio em algo justificável, sim, eles legitimizam esse comportamento fútil com programas porcaria, colocam uma adolescente rebelde que tem o cabelo colorido e só fala merda - Uuuuuh que rebelde pintar os cabelos, e que adolescente mais velhinha hein? - e isso torna-se um círculo vicioso: tem a malhação, tem a bicho do mato, e a "êmetevê" pra ajudar a piorar a situação.

Só o que posso dizer é que isso tudo é lamentável!
Queria ver jovens fugindo dessa teia e querendo ver o que tem por de trás de toda essa droga; queria que descobrissem o poder que têm nas mãos, de poder mudar o mundo a sua volta, seja revolucionando, seja subvertendo, ou simplesmente tocando uma canção; mas que soubessem que podem fazer alguma coisa e ir de encontro a essa "M" toda que rola por aí.

Mas, isso não passa de utopia, sei que quase todos eles estarão grudados no celular, mandando mensagens para tentar conseguir o 15 minutos no seu quarto.

=/

quinta-feira, maio 14, 2009


Post para o dia chuvoso!

Estava hoje na fila do RU (Restaurante Universitário), dor de cabeça do cão, com sono, fila já na esquina com a Ramiro, aquelas conversas fiadas que não se minimizaram nem mesmo com o MP3 Player em seu volume máximo, e a chuva caindo... Cena lamentável. Mas eu estava lá, aguardando pelo meu saboroso almoço de R$0,50!

Em meio aquele caos, peguei-me a pensar em coisas aleatórias para me distrair. Comecei abstraindo com as lições passadas pelo Pablo em sua fantástica aula de Comunicação Visual, a qual eu acabara de assistir. Pensei rapidamente nas coisas que ele tinha falado. Na capacidade incrível que certas pessoas têm de viciar em coisas como redes sociais e jogos de computador. Enquanto ele falava das fissuras dele, de passar as tardes no computador sem conseguir render... lembrei-me de algo preocupante: das inúmeras tentativas de ler ou de escrever sobre os trabalhos da faculdade em que me dispersei.

O trabalho é sobre blogs, começo a ler, e venho visitar o Sabe o que é?, depois os blogs importantes, os que gosto, daqui ha pouco julgo importante ver os e-mails, o orkut, e as vezes até o tal do twitter, e lá se foi a minha produção.

Mas a web conspira mesmo contra a minha vida acadêmica, lembro bem do sábado em que resolvi dedicar aos estudos. Esse dia entrei no msn, porque tenho essa fissura mesmo, admito! Bom, entrei no msn, desvirtuei-me e estou numa situação complicada, fiquei ainda mais fissurada no msn desde então! :P

Quando cheguei nessa etapa da minha reflexão, um filmezinho se passou na minha cabeça, e em meio aquele ambiente hostil, a chuva, a fila, a dor de cabeça, e todo resto, minha linha de raciocínio pendeu para outro lado, de repente "acordo" para dar uns passos a frente na fila, e percebo que estou sorrindo! Mico? Que nada...
Coisas boas têm acontecido, que bom que posso sorrir em meio ao caos! ^^
:)

sábado, maio 09, 2009

A dieta do palhaço!

FONTE: Divulgação do Filme: A dieta do Palhaço Hoje eu aderi a dieta do palhaço, afinal, estava num shopping às vésperas do "dia das mães" justamente para comprar um presente para a minha mãe. Aproveitei o shopping lotado para ir ao McDonalds, uma vez que era o único lugar "fast food" real daquela praça de alimentação. Em menos de 5 minutos já estava sentada numa mesa comendo o meu saboroso hambúrguer de minhocas e bebendo a coca-cola feita com água da torneira. Mas quanto à batata, não! Essa eu preciso defender: sequinha, salgadinha, crocante, no ponto!

Surpresa na hora de pagar: o Big Mac está mais barato do que há um ano atrás! Será que é porque tem um Burguer King quase ao lado, onde o refrigerante pode ser reabastecido de graça? Pela primeira vez eu vi, com os meus próprios olhos, o sistema de concorrência funcionar. O Mc Donalds reinou soberano por anos em Porto Alegre, o preço estava absurdamente caro e o atendimento cada vez pior. Agora, com o Burguer, resolveram ser mais ágeis e cobrar um pouco menos. Foi uma boa!

A parte preocupante dessa história é que se torna mais comum a freqüência de pessoas de renda mais baixa nesses "restaurantes" e isso pode ser bem prejudicial. Não apenas pelo indivíduo atender ao chamado do capitalismo para gastar o que não tem para aparentar ter, mas pela péssima qualidade de vida que esse hábito pode gerar. Se nos Estados Unidos, que é um país desenvolvido, a quantidade de obesos na população já é um problema, imaginem no Brasil! Onde os pobres vão resolver os problemas de saúde que acompanham a obesidade? No sus??? Faça-me rir!

Essa idéia toda me remete a outra situação: a indústria têxtil norte-americana até que se sairia bem com essa, pois já estão produzindo tamanhos grandes, poderiam exportar mais se tivéssemos mais obesos por aqui. Quem sabe não é justamente esse o plano?

No panfleto que serve como "fundo" para a bandeja, deparei-me com uma notícia que me surpreendeu: "estamos no ano comemorativo da astronomia", faz 400 anos que Galileu iniciou suas observações do universo, que fez todas aquelas impressionantes descobertas. Pelo menos uma coisa positiva naquele lugar tão inóspito que cheira a conspirações de dominação das massas.

Mas, como nada é perfeito, eles exemplificaram algumas "notas rápidas" do tipo "Você sabia?" com desenhos muito esdrúxulos, resumindo a história do planeta ou os segredos do universo a imagens tolas! Ex: a Lua, por ter temperaturas muito baixas à noite foi desenhada com toca de lã e cachecol. Para uma criança que não sabe ler, essa será uma informação bem patética e pouco relevante, mas... Como eu disse: nada é perfeito.

Terminado o lanche e essas reflexões li a última nota, que me fez ter vontade de rasgar o papel para tirar uma notinha que dizia: A lua está se afastando da Terra, cerca de 3cm (eu acho) a cada ano. Isso porque lembrei de uma discussão "calorosa" que tive com uma pessoa que duvida da ciência e, mais ainda, dessa teoria, que lhe pareceu a coisa mais absurda e sem fundamento já dita. E é incrível a quantidade de besteiras que rolam por aí, teorias conspiratórias, daquelas que podem ou não ser verdade, mas que é sempre bom ficar sabendo.

Essa mesma pessoa está preocupadíssima com a "Gripe Suína", que nada tem a ver com o pobre do porco, mas que está servindo bem para que as pessoas esqueçam-se da crise econômica e de tantos outros problemas do país e do mundo, e corram todas para os shoppings e fast foods para gastarem os seus dinheirinhos suados e terem mais motivos para continuar trabalhando, para ganhar dinheiro e gastar dinheiro, seguindo a lógica absurda desse sistema que consegue ficar invisível aos olhos dos que o seguem.


* A imagem e referência do título é do filme "Super Size ME - A dieta do Palhaço", mais informações: http://pt.wikipedia.org/wiki/Super_Size_Me

quarta-feira, maio 06, 2009

Pra quê serve um blog, porque as pessoas têm um blog?



"Pra quê serve um blog, porque as pessoas têm um blog?"

Essa foi a pergunta que me fizeram outro dia e que fiquei sem palavras. Por que afinal eu quero tanto ter um blog e me interesso tanto por esse assunto e por tanto tempo? Que raio de hábito foi esse que desenvolvi de ficar escrevendo e escrevendo?

Pois bem, eu não soube dar uma resposta criativa, ou mesmo convincente, principalmente depois que essa pessoa direcionou a pergunta a mim:
- Por que tu tem um blog? - Disse ela.
- Por quê? Hum... Por quê?... =/

A verdade é que não sabia o que responder! Pouco se sabe sobre os porquês de se ter um blog. Na verdade, acredito que cada pessoa tenha um motivo para ter um blog. Talvez pensem em escrever para o mundo, gostem de imaginar milhares de pessoas lendo o que postam, ou prefiram escrever simplesmente para ter uma representatividade na web, e nessa blogosfera que se formou, ou escreva para ver se o que diz faz algum sentido para mais alguém. Isso, claro, se tratando de blogs casuais, pessoais e sem preensões de fins lucrativos, porque daí seria outra história.

Assisti a um filme certa vez, do qual realmente não lembro detalhes, em que o personagem principal enviava sinais para o espaço, esperando que alguma coisa respondesse, pra saber se havia no universo algo mais do que aquilo que estamos acostumados a ver. Acho que minha motivação para os blogs segue mais ou menos essa linha.

Quando comecei a escrever, blogs não eram "tão comuns", alguns pequenos círculos de blogueiros existiam, e quis saber se havia alguém por aí, perdido na web com uma idéia mais ou menos parecida com a minha, a qual, em minha opinião, era um pouco diferente do que se está acostumado a ver por aí. Sempre tive o hábito de escrever, primeiro em papel, depois em TXT's, com o blog, escrevia os textos e depois editava, de forma que não me exposse, mas que passasse alguma mensagem. E foram muitas idéias disseminadas pela web c

Fiz amigos com idéias parecidas, outros nem tanto, alguns se perderam, mas ainda considero válida a idéia de ter esse espaço e de poder escrever "o que quero", ainda que saiba que precise ser indireta e polida para não ser banida desse espaço. Isso sem contar que é preciso rezar para que o espaço dito "free ($)" não seja vendido e eu o perca caso não esteja disposta a pagar por ele, como aconteceu com o antigo blog.

Seja como for, acredito que de maneira extensa, mas não tão complexa, respondi a pergunta da Márcia. E lanço um desafio às poucas pessoas que me visitam e que lerem esse post, por que, afinal, você tem um blog?

:)
São poucas as bandas que eu considero muito boas, daquelas que eu ouço tudo, por mais doido que seja o seu novo trabalho. E sempre que uma dessas poucas bandas lança um novo álbum eu fico tensa, querendo saber se ela vai se auto-afirmar, ou se vai passar a fazer lixo, por achar que já está bem e que as pessoas vão comprar de qualquer forma.

Recentemente me "reaproximei" das músicas do REM, e fiquei encantada com o novo álbum, que já nem é tão novo assim. Pearl Jam quando lançou o álbum mais recente me assustou um pouco. E eu adoro me surpreender com um novo trabalho, principalmente quando a banda se supera sem perder aqueles elementos mais básicos e tradicionais que a definem.

Demorei um pouco pra conhecer o álbum mais recente do U2. Ouvi duras críticas, algumas irrelevantes, por não terem vindo de fãs, mas que me fizeram até chegar a temer um pouco por essa primeira audição. Mas, como não tinha jeito, eis que recebi o álbum em MP3 para ouvir. Coloquei no MP3 Player e fiquei emocionada.

Como é legal quando paro para ouvir um novo álbum e me deparo com um som tão diferente e tão interessantemente marcante, a ponto de se diferenciar sem fugir da proposta inicial da banda. O álbum mais recente do U2, o "No Line on the Horizon", traz tantos elementos novos que surpreende alguém que conhece a banda há tanto tempo. Porque é possível perceber tudo que sempre gostei na banda, apesar de ter tantas "sensações" diferentes ao ouvir as músicas.

Na semana passada, cansada de ouvir sempre as mesmas músicas, resolvi baixar o álbum mais recente de outra banda que gosto por demais, o Colplay, o álbum "Viva La Vida (or Death and All His Friends)" é muito Coldplay. Talvez não tenha inovado tanto quanto o U2, mas me surpreendeu muito positivamente e me deixou feliz por que posso continuar dizendo que eu gosto de Coldplay.

Tá eu sei que todos os CDs citados já são antiguinhos, mas eu não ligo, estava atrasada, posso até tardar, mas falhar... JAMAIS! =P

* num bom momento!

quarta-feira, abril 29, 2009



A "Sorte de hoje" do orkut diz: Um homem sem conhecimento é como um selvagem da floresta!

Eu modificaria essa frase para: Um homem sem noção é um selvagem!

Só isso por hoje, já tô cheia disso!!!!
=/

terça-feira, abril 28, 2009


O dia estava calmo e alegre, o agradável. E lá estava ele, o caminhão que traria a felicidade para a Terra de Feliz!
E lá estávamos nós, a caminho da felicidade, a caminho de feliz!!!
O som do blog foi o que ouvimos no caminho e o que nos embalou ainda que inconscientemente naquela festança!

"Então libera, libera, libera mais um choopp, libera..."


Hey!!!
o/

sexta-feira, abril 17, 2009


Fiquei estupefata com uma história ouvida pelos corredores da Fabico, depois em sala de aula, por terceiros. Um professor do curso de Jornalismo teria retirado o conteúdo do seu blog e site do ar por uma determinação judicial, devido a um processo que estava em andamento. Um jornalista da RBS o estaria processando por críticas publicadas nesse site.

O assunto me despertou curiosidade e quando pensei em buscar mais informações a respeito, em nossa classe de "Comunicação Visual" o professor Pablo trouxe uma visita muito ilustre para conversar conosco. Até o momento em que o professor apresentou a "pessoa" entendi que era o autor do blog "Ponto de Vista", muito citado nas aulas pela sua marca visual, totalmente de acordo com os pontos de vista publicados, e por se tratar de um blog, também de acordo com a personalidade do seu autor.

Mas quando o visitante começou a se apresentar e falar do seu trabalho, percebi que era ele o professor que estava sendo processado, e a história só fez melhorar. Deparei-me com um jornalista de verdade, uma pessoa simples, cheia de idéias e ideais na cabeça, e faz questão de expor e de apontar tudo aquilo que ele não concorda, isto é, colocar em pauta assuntos que considera relevantes para que sejam discutidos, questionados.

E não é justamente essa a função de um jornalista?

Outro motivo para a minha surpresa é que venho estudando blogs, sempre considerei essa ferramenta poderosa para compartilhar idéias e para botar a boca no trombone, mais ainda, sempre julguei esse espaço "livre" para expor minhas idéias.
Também achei que não existisse mais censura! ha-ha-ha Só falta eu dizer que acredito em coelhinho da páscoa também.

Gostei de praticamente tudo o que ele falou, deveria ter gravado aquela palestra. Uma lição de vida que não se explica, e que determinação! Ele realmente teve de censurar o seu próprio site, reduzir as idéias em seus textos, de modo que não venha a se complicar ainda mais.

Sempre achei que tivesse nascido na época errada, queria ter lutado contra a ditadura, ter sido uma revolucionária subversiva, e por isso queria ser jornalista. Quando entrei para a faculdade escolhi ser Relações Públicas, desisti desse jornalismo que aí está, por que julguei impossível lutar contra essa multidão de fdp que se diz jornalista e mais ainda contra as "máquinas de produzir notícias".

Ouvir o Ungaretti me fez sentir aquela velha vontade de ser jornalista, de lutar por alguma coisa que valesse a pena. Não vou mudar de curso agora, mas vou acompanhar esse caso de perto e usarei o meu blog para comentar a respeito. Essa é a forma mais justa que encontrei até aqui para propagar um pouco mais esse "sucesso" e de dar o meu apoio a pessoas que agem muito mais do que falam, e falam o que sabem, o que pensam, que são autênticos!

Isso sim é muito punk!

segunda-feira, abril 13, 2009

Meu blog é fabuloso!!!

Um blog que não se atualiza não vai pra frente!
Mas o que, afinal, é ir pra frente!?
Outro dia na aula um colega chorou por que queria ganhar dinheiro com o blog dele, mas não conseguia pensar em nada muito atrativo para esse fim. Bom, pensei comigo, pelo menos essa nunca foi a minha intenção. Apesar de ter ouvido o depoimento de uma pessoa que ganha R$12000,00 por mês com um blog, no qual trabalha apenas 2h por dia. Que tudo hã?

No fim, o que me importa mesmo é que alguém leia e goste, ou questione, ou reclame, enfim... dê alguma importância para as coisas que eu insisto em repetir por aqui. E isso tem acontecido de uns tempos pra cá, um novo amigo blogueiro, um amigo blogueiro recuperado, e a minha existência nesse meio de comunicação parece um pouco mais significativa, a tal ponto de meu blog ser presenteado com um selo!! \o/

Taí uma coisa que eu gostei desses tantos anos de blogueira! Meu blog é fabuloso segundo Guilherme Palma!!!!
Nem sei se é pra tanto, mas, já que alguém achou, vou aceitar! :)

E ainda tenho que indicar três blogs... Ai ai ai, que nervoso!

Não na ordem de preferência, blogs que visito com frequência e que gosto muito! :)

1 - Dos universos do Soviético: http://marcelosoviticoblog.blogspot.com/
2 - Le Fabuleux Destin: http://nat-fabuleuxdestin.blogspot.com/
3 - Bloco de Notas: http://guilima.blogspot.com/

sábado, abril 04, 2009

Floripa, aqui vou eu!

Sexta-feira, 03/04/2009 - depois de um dia intenso de trabalho, muita gripe e um happy hour com o "Cherry", peguei um táxi e embarquei num ônibus a caminho da "ilha da magia". Estava preparada, com um pilequinho leve, uma garrafa d'água e o mp3 muito bem alimentado de canções para viagem. Estava preparada para uma viagem monótona, 6h sem dormir, provavelmente embarcando em pensamentos sem sentido, ou com sentidos não tão interessantes.

Poderia ter sido assim, se meu "companheiro de viagem" não fosse um Russo, cujo nome impronunciável eu não posso lembrar. Russo viajando pela américa latina, ele falava um pouco de espanhol, um pouco de inglês, assim, por curiosidade, começamos a tentar nos comunicar.

Lembro de ficar olhando para o relógio do ônibus, e percebendo a velocidade com que as horas passavam. Agradáveis horas em que discutimos política, economia, nacionalidades, Lenin e a sua "não" tendência anarquista, bem como as conspirações americanas para dominar o mundo, para roubar a amazônia e os lençóis d'água no Rio Grande do Sul; descobri também como é feita a impressão dos dólares americanos e entendi um pouco das grandes crises financeiras pelas quais o mundo vem passando nos últimos anos por conta dos estados unidenses.

A discussão foi boa até a parada no "Japonês". Foi lá que a senhora sentada a nossa frente expressou pela primeira vez em palavras muito bem pronunciadas, que estava de saco cheio do nosso falatório. Foi então que adotamos o "note book" do amigo russo para nos comunicarmos. E aí sim foi interessante, um russo que meio que falar espanhol, que fala inglês, trocando palavras num bloquinho de notas com uma brasileira que arranha o inglês.

Usar Othelo para definir a palavra "ciúme" ou desenhar um jogo da forca para explicar que a senhora a nossa frente queria me esguelar foram, sem dúvida, apenas alguns dos momentos curiosos dessa tentativa bem sucedida de comunicação.

Descobri com esse contato que os russos não gostam muito de "pop music", que também riem dos que gostam de Backstreet Boys, e que bandas como Pearl Jam, Jethro ou Coldplay, não são muito conhecidas. Mas esse amigo, a princípio descartável (vide definição no filme: clube da luta), bem que curtiu as músicas do meu mp3 que embalaram a nossa viagem.

Descobri também que ele considera Porto Alegre uma cidade suja e muito ruim. E isso me deixou meio chateada, por que não consegui convencê-lo do contrário. E olha que ele só esteve na rodoviária de Porto Alegre. =/

Sempre achei interessante essa troca de experiência entre pessoas de mundos tão diferentes. Mais interessante ainda é pensar que mesmo sem nos conhecermos, sem sequer conseguirmos manter um diálogo muito claramente, ao olharmos nos olhos um do outro, sempre entendíamos o que o outro queria dizer.

Assim, o tempo de viagem que tinha tudo para dar em nada, transformou-se em horas agradabilíssimas, fiquei realmente satisfeita com a surpresa reservada pelo destino.

O momento mais engraçado, é claro, ficou para o final. Para o momento em que o russo encolheu-se todo quando percebeu que eu me despediria dele com um beijo no rosto.

Mas que experiência legal!
:)

domingo, março 22, 2009

"I'll pray
for this heart to be unbroken
But without you all I'm going to be is incomplete"

Talvez a volta do Suspensa no Espaço esteja mais próxima e transformada do que nunca.

=/

segunda-feira, março 16, 2009


Naquele dia, chegou cansada, diferentemente dos outros dias, entrou no prédio lentamente, observando cada detalhe do portão de entrada, até a fechadura da porta lhe pareceu diferente. Subiu as escadas, achou melhor do que pegar o elevador e acabar encontrando alguém, ter de conversar sobre assuntos corriqueiros e sem importância.

Foi subindo degrau por degrau, e a cada passo, pensava em toda a sua vida, o seu longo caminho até ali. A cada estágio da sua vida via seus erros, seus enganos, a sucessão de erros e enganos que a levaram a única coisa de concreta que já tivera em todos esses anos. Mas, ao contrário do que se possa imaginar, não se importou com nada. Pensou também a respeito dos seus grandes feitos, aqueles dos quais deveria se orgulhar, mas não foi isso o que aconteceu, apenas passou por todos eles importando-se nem mais nem menos do que com aqueles degraus que agora subia.

Chegou em casa, onde deveria ser o seu porto seguro, o seu "lar doce lar". Nem mesmo um cão de pelúcia para notar a sua chegada. Nada, nem insetos. Largou a chave sobre o móvel próximo a entrada e bateu a porta as suas costas, entrou largando suas coisas, despindo-se de todos os problemas e inconveniências que tiraram a sua paz naquele dia. Deitou-se na cama meio atravessada, ficou olhando para o teto, no apartamento ainda escuro, via apenas um feixe de luz que entrava pela fresta da persiana que costumava deixar semi aberta para ventilar o ambiente ao longo do dia.

Depois de algum tempo observando aquele feixe de luz oscilando devido ao reflexo dos faróis dos carros que passavam, levantou-se, despi-se e foi para o banheiro. Dificilmente pensava nessa hipótese, o cansaço costumava ser tanto, que caia na cama e acordava no dia seguinte, já saía para o recomeço do seu dia fatigante. Mas, aquela noite, bom, naquela noite havia algo de diferente. Acendeu a luz, fechou a porta, ligou as torneiras da banheira e ficou a observar o seu rosto no espelho, foi perdendo a consciência propositalmente, enxergando seu rosto desfigurado no espelho parecia se sentir mais a vontade.

Despertou desse transe com o barulho da água que transbordava da banheira. Sem se apressar foi até as torneiras e fechou-as lentamente. Acariciou a água que estava no seu estado mais tenso até rolar livremente pelo chão e sentiu inveja da capacidade da água de ser resistente ou maleável, de acordo com a necessidade. Há muito que não sabia ser assim, sequer lembrar quando pôde fazer algo parecido.

Mediu a temperatura da água, depois de certificar-se de que seria mesmo uma boa idéia, mergulhou um pé, depois o outro. Por alguns segundos divertiu-se com o som da água sendo derramada, foi descendo o corpo lentamente apoiando-se nas bordas, até que sua cabeça ficasse por completo submersa, depois colocou os braços descansando ao lado do corpo, soltou todo ar que tinha em seus pulmões e repousou por todo o tempo que poderia suportar sem respirar.

Quando não podia mais suportar, levantou apenas a cabeça, a fim de poder pegar ar na superfície e mergulhou novamente. Abriu os olhos e ficou observando o ambiente distorcido, os sons modificados, a falta de ação percebida estando mergulhada naquele fluido. Repetiu o exercício de buscar ar e mergulhar novamente por diversas vezes, até cansar...

Então, levantou-se, vestiu o seu roupão. Sem muita cerimônia, deitou-se na cama, ligou a TV no canal mais parado possível, volume quase imperceptível, abraçou um travesseiro.
Adormeceu.

sexta-feira, março 06, 2009


Não procures em mim algo que lhe seja familiar
Não procure em mais ninguém
Aquilo que um dia foi seu
A minha vida e o que sou
Não podem ser comparados com nada que você conheça
Ou ainda, com o que você espera
O mundo é tão grande, e nossos sonhos tão pequenos
Por que não percebemos a tempo?
É como querer saber por que o tempo voa
Por que ele passa por nossas vidas
Levando-nos aquilo que tanto queremos
Deixando-nos tantas desilusões
Tamanhos aprendizados que
Passado algum tempo, já não nos serve para nada
Voltamos a nos debater com as mesmas questões
Lá estamos, mais uma vez,
Atrás daquilo que, sabemos, não podemos ter
Já que tudo é tão fulgaz
Já que nada pode ser como era
Já que nem eu mesma posso me considerar a mesma
Já que os tempos são outros
E o mundo mudou comigo
Está na hora de abrir meus olhos
Encarar a escuridão temporária causada pelo excesso de luz
Abrir os braços, inspirar tudo a minha volta
Expirar tudo que já não me serve
Soltar os sonhos, apreender os medos
"A vida nos ensina" - Todos já ouvimos isso
Pois que venha a vida
Que me invada e me faça crescer
Estou pronta, ansiosa, procurando por isso
Mais uma mudança deve vir
Já não posso me assustar com as lágrimas
Que venham elas também
Minha vida é outra e não posso sentir como antes
Tudo se foi, muito deve vir
Por que todos os espaços se preenchem
E somos nós quem os escolhemos como eles serão preenchidos
Então está decidido, escolhido, está certo:
Estou aqui e nada pode mudar o que aí está
Que venham tudo e todos, pois aqui estou
Só não procure em mim algo familiar
Me aceite como eu sou, entenda que sou o que devo ser
O que cabe a mim ser, o que enfim serei.

---
Saudades do Suspensa no Espaço!

quarta-feira, março 04, 2009

Formatura da Maluca!

Sábado, 04 de março de 2009.

Depois de uma noite de viagem, cheguei, finalmente à Rua das Acácias, na "Pousada das Princesas". Nomes lindos, não? Dez minutos depois de ter entrado e conversado com a Joyce, a responsável pelo lugar, já estava de pijamas, dormindo feito um bebê!

Acordei por volta do meio dia e fui passear pelo bairro da Carvoeira, nunca vou me acostumar com esse nome, dei a volta ao mundo universitário da UFSC e fui parar no "Pantanal", curiosamente numa lan house, a mesma lan house que havia passado com a Marisa na outra viagem. Ansiosa por encontrar um "novo amigo" que pudesse ter me adicionado, ou pelas novidades do "Cherry". Mas, não, apenas o Soviético online, e o meu blog esperando por uma novidade. Foi então que publiquei o post anterior.

Restava então ir para "casa", dormir mais um pouco e depois me preparar para a grande celebração: a formatura da Isa! \o/

As 19h30 lá estava eu no Centro de Eventos assistindo ao momento mais importante de mais de 100 pessoas!!! Inacreditável, mais de 100 pessoas estavam se formando junto com a Marisa. Profissionais de Letras, licenciados, bacharéis e secretários executivos. A cerimônia foi legal, como já era de se esperar, em três momentos: quando a Isa entrou, depois quando ela pegou o canudo, e por fim, quando o reitor anunciou o fim da cerimônia!

Depois dos "clicks", o Baile!!!!

Estava muito ansiosa por esse baile, mas antes ainda fomos jantar... E senta que lá vem mais história: quantas pessoas, afinal, cabem num Kadete? Hahaha Muito mais do que se espera, podem acreditar. Depois de lotar o carro de uma chilena pra lá de simpática, jantamos.

Mas, o baile!!! Sim, o circo estava formado quando chegamos ao baile. E me senti como naqueles bailes que assistimos nos filmes americanos, uma banda tocando clássicos e meninas de "longo" e meninos de terno e gravata circulando para lá e para cá.

---
Seis anos depois, encontro esse post perdido nos rascunhos do blog e me pergunto "Porque não postei?". Houve, e ainda há, momentos em que tenho tantas ideias que acabo por não postar textos prontos, como esse, por achar que precisam de mais um retoque.

Sobre o baile, acabou antes do esperado para a Marisa e eu, mas também me marcou muito o dia seguinte. Passei mais tempo com os pais queridos da "Maluca" e foi muito divertido.

O que veio depois? Não faço a mínima ideia. Esse lance de ter textos sobre as "passagens" da vida é muito legal. Às vezes me pego lendo o meu blog relembrando situações, e até me surpreendendo com histórias sobre as quais escrevi, que pareciam marcantes e já nem me lembro.

Ah! E o post fica publicado sem foto mesmo, porque a Marsa nunca compartilhou comigo. Isso foi antes de feice, insta e whats, so...





sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Perdi vinte nove "amizades"


Perdi vinte nove "amizades"...
Por conta da minha teimosia de querer ser eu mesma, por conta dessa necessidade de reafirmar o que sou, por conta de não me dar por vencida e insistir, persistir, por confiar e lutar por aquilo que acredito, por não agir contra os meus princípios.

Sabe quando acontece uma coisa ruim? Não falo das desgraças dessa vida, mas de coisas ruins, que nos venha a tirar do sério, que para outras pessoas seja uma coisa banal, mas que para nós tem um significado, uma relevância sem precedentes?

Pois bem, hoje foi um dia desses, em que uma coisa ruim aconteceu. Superpreendi-me com a minha ingenuidade. A maioria das pessoas que me conhecem, ou que pensam me conhecer, vêem-me como uma pessoa "esperta", e é com situações como essa, a que se assucedeu hoje, que vejo o quanto essas pessoas estão erradas. Mas, nem tudo está perdido.

Aprendi, e isso não faz muito tempo, como me defender disso, e surpreendo-me ainda com o quanto aperfeiçoei-me no ato de encenar, escorregar e fazer-me de desentendida quando me é conveniente. Se antes por conta da minha teimosia, perdia, hoje acrescento, reinventando-me a cada dia, a cada situação. Quando coisas ruins acontecem, procuro isolá-las e concentrar-me naquilo que realmente importa para mim.

É nesse momento que percebo a beleza de coisas simples como ter mantido uma amiga, de ter brigado por ela (por mais que me zangue ao chegar em casa e encontrar bagunça. Hoje, a bagunça dela me fez feliz). Fazer um brinquedo novo, ou continuar o que já havia começado com aquela que quase se perdeu, ou simplesmente saber que posso pegar o telefone, desabafar, trocar idéias sinceras com alguém real. Abrir o msn e ter contatos que realmente têm razão de lá estarem, que fazem diferença, ou algum sentido.

É isso que define o que "vamos ser quando crescer", se o espelho ou a moldura.

Quando deixaram de fazer de conta que me amavam, aprendi a perdoar e a pedir perdão...
E tive vinte nove amigos.
.

segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Tá bom, então!
Vamos falar de música.

Mas só se for com muito saudosismo e nostalgia! Trás um caneco de vinho, só ele alimenta a saudade e desprende a língua.

Sinto muito para os que nunca tentaram. Das duas uma: ou não se permitem a provar uma boa bebida alcóolica, ou nunca tiveram amigos competentes. Pois, eu tive! E como era bom sentar naquela sacada desconfortavelmente com um copo, aqui citado como "caneco de vinho" e devanear.

A música é um estado de espírito, e mesmo aqueles espíritos mais inquietos, têm de se render a ela - não dá pra fugir. E uma coisa maluca que acontece com os seres humanos, a alma parece que se alimenta de melodias, pois desde o tempo das cavernas, se é que eles existiram, o homem já se encantava com os sons melódicos e, desde então, esses sons são reproduzidos e reinventados pela humanidade.

Não tenho um caneco de vinho aqui, sequer o amigo de longa data para ajudar a devanear... Tudo o que posso descrever é a lógica de um artigo acadêmico, por que sem o vinho, somos lógico demais.

Ah! Por favor, isso não é, nem de longe, apologia às drogas licitas, não, não... É apenas o desabafo saudoso de um amigo que está longe, a saudade de um tempo, e o silêncio ensurdecedor de condicionadores de ar, automóveis e computadores a minha volta.

"Achei um 3x4 que eu não quis acreditar que tinha sido a tanto tempo atrás
Um exemplo de bondade e respeito do que o verdadeiro amor é capaz."
.

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

A vida já não me surpreende, as pessoas sim

Depois de um post altamente pessoal e descritivo, coisa que definitivamente nunca foi tão diretamente por mim exposto, chega o momento de voltar às origens.

Surpresa maior do que quando descobri que a globo havia bloqueado meu acesso ao meu próprio blog, foi quando descobri – hoje, mais conhecido como ontem - que o “Suspensa no Espaço” havia sido definitivamente apagado do mundo virtual. Já fazia algum tempo que não o visitava, mas confesso que senti um vazio imenso quando me deparei com a página de erro ao tentar acessá-lo, assim como a um outro blog, secundário, alternativo, ainda mais desconhecido.

2008 foi um ano de revelações, surpresas, novidades... O “Suspensa no Espaço” trazia um pouco da minha história, e ainda não posso avaliar o tamanho do estrago, ou do benefício que o fato de não ter mais esse acesso pode me trazer. O blog era de 2002, outros tempos, outras vidas...

Hoje, ainda mais histórias são contadas no "Sabe o que é?", mas não com tanta intensidade; confesso, vendi a alma do meu blog ao diabo, não por completo, mas ele não se compara ao bom, velho e falecido “Suspensa no Espaço”.

Triste...

Surpresa maior é descobrir nesse mesmo dia, o quão estranho e secreto é cada universo que existe dentro de cada ser humano nesse planeta. No dia em que dei por falta de menos um blog, dei por conta de novidades no cyber espaço. Novidades que "meio que" reafirma uma idéia maluca e estranha que vez por outra me aparece pela frente.

Eu que sempre vou contra tudo e contra todos quando acho que tenho que ir, que tento de todas as formas transformar o que sou naquilo que gostaria de ser por pura insatisfação, vejo meus passos serem seguidos de forma oculta, estranha. Estranhamente.

Mas nem tudo é novidade e existem ainda pessoas previsíveis, aquelas que sequer se envergonham, das quais muito me orgulho, de não terem a mínima idéia ou conhecimento dos relatos em que aqui ou no “Suspensa no Espaço” foram a elas dedicados.

"Eu juro que é melhor
Não ser um normal
Se eu posso pensar
Que Deus, sou eu..."

E... brrrrrrrrrrrrrru!!!

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...