segunda-feira, março 30, 2015

New Politicians: Post punk para engrossar a lista do tal indie rock!

Volta e meia estou tagarelando no Twitter sobre música, sigo muitas bandas pra saber o que está acontecendo e, talvez porque essa seja mesmo uma boa utilidade do Twitter, com muita frequência fico sabendo de novas bandas, por elas mesmas. Explicando: algumas bandas alternativas, muitas de de indie rock, usam esse canal não apenas para enviar spam, o que é chato pra caramba (se você tem uma banda, por favor, não faça isso), mas também para interagir ou seguir as pessoas, o que é bem legal.

Uma tática que funciona com pessoas curiosas como eu. Quando uma banda me segue, costumo visitar o perfil e dar uma espiada no site, ouvir o tipo de som que ela faz e etc. Bem, muitas vezes a banda é ruim ou de um estilo que não me agrada. Mas, às vezes tenho boas surpresas, como a de hoje, quando fui seguida pela "New Politicians".

Ao checar o perfil no Twitter, site da banda, e Spotify, vi que a banda é boa. Se acessarem o Twitter deles vocês vão ver os comentários das pessoas. Algumas delas os comparam com Joy Division, e eu acrescentaria aí o Interpol. Sim, porque essas três bandas têm em comum a classificação de pós-punk (ou "post-punk"), considerado mais introvertido, complexo e experimental do que o punk rock.

O estilo teve origem na Inglaterra, é claro, mas influenciou a música do mundo inteiro. Isso explica porque tantas bandas parecem britânicas, e agente custe a acreditar que sejam de cidades como NY, ou de Copenhagen. No Brasil temos Renato Russo, que simplesmente amava o estilo, e a Joy Division, e isso fica bem claro quando se ouve os trabalhos dele, principalmente o álbum solo.

Mas, eu prefiro não me apegar a essas classificações. Afinal, existe só dois tipos de música: a boa e a ruim, e tudo isso está relacionado com o gosto de cada um, que é particular demais pra se encaixar em "tipos" tão bem determinados. O estilo de música que eu ouço varia de acordo com o meu humor, e tem que ser boa, tem que me "tocar". E nesse bolo minha playlist fica sempre inundada de variados tipos de som, bandas e "categorias".

Como eu não sou muito do tempo do Joy Division, não sou fã da banda, conheço muito pouco [Aliás é por isso que gosto mais da versão de The Killers pra Shadow Play, o que faz os fãs de JD ficarem indignados! haha].

Voltando à "New Politicians", eles têm essa influência (assumida) no pós punk (inglês), lembra bandas do mesmo "estilo", mas é original com "indie songs" pra ninguém botar defeito.  Por isso fiz questão de compartilhar a descoberta e dizer que vale a pena conferir. Quem curte rock alternativo volta e meia sente necessidade de ouvir coisas novas, e quando se procura por playlists de indie rock nesses aplicativos ou sites (ditos) especializados, o que se encontra é mil bandas fazendo sempre a mesma coisa.

O único ponto negativo que eu percebi na New Politicians é que eles têm apenas 7 músicas, por enquanto. Espero que isso mude em breve. O mundo precisa de bandas novas, de bandas boas como essa!

Quer ouvir/ver um pouco mais, assiste o vídeo aí:



PS: E eu que adoro buscar semelhanças... reparem na semelhança do álbum deles com a do "The boy with no name" do Travis! Outra banda que, se tu não conhece, não sabe o que está perdendo! :P 

sexta-feira, março 13, 2015

Gerard Way e seu Hesitant Alien

Só hoje, quase seis meses depois do lançamento, parei pra ouvir com calma o álbum de lançamento da carreira solo de Gerard Way (My Chemical Romance) o famigerado "Hesitant Alien". Estava pensando em resumir minha avaliação num tweet, mas não me contive, e aqui estou: quebrando o silêncio de meses no blog pra falar de música. Mas não de qualquer tipo de música, e sim daquele estilo que 50% da população desconhece, e uns 49% que até conhece, despreza.

Gerard Way "fechou" o My Chemical Romance, foi se dedicar aos quadrinhos, sua paixão, mas não por muito tempo. Os fãs da banda não o deixaram, e parece que a ligação com a música também não. Daí, em vez de ligar pra galera e tentar reunir a banda, ele resolveu lançar um projeto solo. Eu curto alguns álbuns do MCR, eles têm músicas geniais, incríveis e coisa e tal. E odiei a ideia desse projeto solo desde o início.

E o resultado, esse tal de Hesitant Alien, a primeira ouvida, lá em setembro, bem como a comunicação nas mídias digitais que o Gerard iniciou me deixou meio desconfiada. Não gostei! Mas os fãs estavam todos lá, vibrando, e vieram os shows. E veio o personagem "Lola + G", uma simpatia de urso cor de rosa. Nunca fui buscar a origem disso, nem sei direito pra que serve, mas a Lola é um show de simpatia no Twitter, interage com os fãs e coisa e tal.

Mas, vamos ao som! Afinal era pra isso que serviria esse texto. Pode-se dizer que esse álbum revela um Gerard Way Mega Indie, se cortarmos "Millions" da lista. Essa música em especial é meio boba. E quando eu estava torcendo o nariz pra essa carreira solo, ela apareceu e eu tive certeza de que não valeria a pena. MAS, por sorte o álbum tem 11 músicas, e as outras são bem mais interessantes. Action Cat (minha preferida), Zero zero, No shows... São legais.

Entretanto, vale lembrar que de som indie o mundo está cheio, e todos meio que se parecem. Isso, por si só já seria um ponto negativo. O estilo indie é meio repetitivo em Hesitant Alien, trás pouca singularidade. Além disso, o mais legal da "personalidade até então conhecida" do Gerard Way era a voz, ele sempre foi muito competente nisso com o "My Chem", e isso ficou de lado pra atender esse estilo indie de voz desfocada, perdida em ruídos. E foi algo que me chateou um pouco.

O que esperava era um pouco de rock, um pouco da gritaria e das melodias dos tempos de My Chem - como em Juarez (faixa 7). E o que veio foi algo novo e bem diferente. Não é ruim, e estou ouvindo o álbum pela terceira vez. Mas, é inevitável a comparação.

Esse prazer de ouvir um pouco do My Chemical Romance está no álbum do Frank Iero, sobre o qual, talvez, eu venha a escrever depois. O projeto Frank Iero and the Cellabration é incrível e merece atenção!

Pra encerrar, deixo o áudio oficial de Action Cat e, pra não desmerecer o trabalho, uma apresentação ao vivo da música, que mostra como o Gee consegue ser bom apesar do tempo! :´D

Ao vivo!

sexta-feira, janeiro 23, 2015

Google Tradutor é rei!

Ontem mesmo estava tuitando sobre o Google Tradutor e de como ele tem se aperfeiçoado e transformado as minhas comunicações nas mídias sociais. Sim, eu curto acompanhar pessoas dos mais diferentes lugares do mundo nas redes sociais e de interagir com elas. Mas, eu não tenho todo conhecimento do mundo em todas as línguas, então recorro muito ao Tradutor do Google.

E eu bem me lembro do quão tosco ele era no começo. Nunca se poderia digitar uma frase, às vezes nem mesmo uma palavra, e conseguir uma boa tradução. Era quase sempre muito literal e as frases ficavam absurdas. Agora, com a nova ferramenta, ele mostra sugestões e alternativas para as palavras, dá dicas do idioma, simplesmente perfeito.

Outra ferramenta, que eu acredito seja nova, é o tradutor rápido, quando você busca apenas pelo termo "Tradutor", a resposta é quase instantânea e salva vidas! Principalmente para quem interage no Twitter. Tenho uma "amiga" na Russia, outra na Alemanha, no EUA, e essa ferramenta ajuda muito a tirar dúvidas e a se comunicar.

É claro que não é perfeita, mas ajuda muito, inclusive nas aulas de alemão. A tradução Português-Alemão, ou Português-Russo não é perfeita, mas quando se traduz do inglês para essas línguas o resultado é bem aproximado. E o legal é que assim você vai testando seus conhecimentos em três idiomas ao mesmo tempo.

Tentei buscar um artigo que mostrasse a evolução do aplicativo, ou pelo menos mostrar como foi a ordem de modificações, não achei... e vou deixar assim mesmo, sorry!

:P

quinta-feira, janeiro 15, 2015

Paid Search, é a descoberta do dia!

Um tipo de publicidade contextual em que proprietários de sites pagam uma taxa de publicidade, geralmente baseado em cliques ou visualizações para ter seus sites aparecendo nos resultados de busca na Web, de preferência na primeira colocação das páginas de resultados do motor de busca.

Alguns motores de busca, como o Google, deixam bem claro para os usuários quais os resultados de pesquisa são "orgânicos" e quais são pagos, ou patrocinados.

Diz-se "contextual" na falta de uma palavra mais adequada. Acontece que um conjunto de palavras-chave definida no momento de patrocinar os conteúdos é associada a busca dos usuários. É como a estratégia de SEO, porém com foco em "links patrocinados".


terça-feira, dezembro 30, 2014

Processo Svchost.exe trava o pc

Apesar de supostamente ter encontrado uma solução para o problema causado pelo processo Svchost no Windows 7, venho aqui comunicar que não, não foi resolvido com a dica publicada aqui: Como fazer o processo Svchost.exe parar de travar o pc

Hoje fiz um novo teste. Esse serve para o Windows 8 e também para o Windows 7, e promete acabar com esse problema de ocupar 100% do disco, com a memória e a paciência da gente. Fiz o procedimento nas duas versões do windows e estou aguardando para saber se realmente funciona.

Essa nova "solução" é uma medida paliativa, porque acaba com o problema, mas pode causar outros. Enfim, a dica agora é parar o serviço Windows Search. Essa parece ser a forma mais imediata pra conter esse problema causado pelo svchost. Algumas tarefas deles vão continuar abertas, mas aquela que usa toda a memória do computador, pelo menos, não. Essa dica foi tirada do fórum da Microsoft na comunidade do Windows 8 (veja aqui).


Aqui mostro dois caminhos para desativar esse serviço:

1- Acesse o ícone "Ferramentas administrativas" no painel de controle, depois acesse "Serviços" e localize "Windows Search" entre os serviços listados.

2- Abra o "Gerenciador de tarefas do Windows" clicando com o botão direito do mouse sobre a barra de ferramentas, selecione "Serviços" na tela que abrir, depois clique no botão "Serviços" abaixo, à direita na tela.

Depois clique em "parar o serviço" no link que aparece no topo dessa tela, à esquerda.

De acordo com as pesquisas que realizei em fóruns, é isso ou trocar de sistema. Esse problema com o processo svchost.exe tem acontecido bastante com o Windows 8, e nos fóruns sempre dizem para tentar algumas ações e, se não der certo, voltar para Windows 7. Mas, esse problema está presente também no 7. Então, em caso de todas as tentativas falharem e você não tiver grana para um Mac, o jeito vai ser esperar pelo próximo rwindows, que logo logo estará por aí.

Se alguém testou esse ou outros procedimentos, se tiver alguma outra dica, por favor, deixem aí nos comentários. Obrigada! :)

sábado, setembro 13, 2014

Como fazer o processo Svchost.exe parar de travar o pc

Tenhum um netbook da HP com Windows 7 há uns dois anos, e de uns meses para cá vinha tendo problemas com o arquivo Svschost.exe travando o sistema. Isso acontecia porque ele abria várias sessões diferentes, e uma delas ia aumentando o consumo da memória RAM a ponto de não conseguir rodar mais nada. O que fazer pra resolver se encerrar a atividade pelo Gerenciador de Tarefas não resolve?

Hoje encontrei a solução e fiquei impressionada com a facilidade. Mas antes, algumas observações:


1º - É importante explicar o que é o famigerado  Svschost.exe:
Segundo o site de ajuda da Microsoft trata-se de um "processo no computador que hospeda, ou contém, outros serviços individuais que o Windows usa para executar várias funções. Por exemplo, o Windows Defender usa um serviço que é hospedado por um processo svchost.exe."
Na prática ele cria um arquivo de log, e pelo que entendi, conforme esse arquivo vai aumentando, o bom e velho rwindows vai se perdendo e gera todo o transtorno, travando o sistema, ou deixando tão lento que não conseguimos usar qualquer outra aplicação.

2º - Nas minhas pesquisas vi casos em que um malware consegue se hospedar no Svschost e, da mesma forma, tornar o uso da máquina uma tortura. A solução para esses casos é a mesma.

3º - O processo é simples, exige apenas que se reinicie a máquina no modo de segurança para poder mudar os arquivos que são usados pelo svschost. Para quem não sabe, para reiniciar no modo de segura basta pressionar a tecla F8 enquanto o sistema ainda está na "tela preta" (pra usar uma linguagem bem comum e acessível). Se não conseguir isso se mata? não, desliga o computador direto no botão, sem ir pelo caminho "Menu iniciar>> Desligar..." Quando reuniciar vai ficar naquela tela preta perguntando se você quer inicializar normalmente ou no "Modo de segurança". Pronto!


A Solução:

- Ao reiniciar o sistema no modo de segurança, localize a pasta "SoftwareDistribution". Ela fica dentro de: C: >> Windows
- Renomeie esse arquivo adicionando ".old" no final.
- Ainda na pasta Windows, localize o arquivo "WindowsUpdate.log";
- Renomeie esse arquivo, adicionando ".old" no final.
- Reinicie o sistema normalmente. FIM!


O que acontece ao mudar esses arquivos?

O windows cria uma nova pasta, um novo arquivo de log, e com esse processo o serviço volta a funcionar como deveria, sem atrapalhar muito a vida do "usuário".

Bom, eu não sou a pessoa mais inteligente desse mundo e, obviamente, não descobri isso sozinha. Fui salva pelo youtube, por um vídeo postado por outra pessoa que descobriu e teve a feliz ideia de compartilhar no vídeo: Como fazer o processo Svschost.exe parar de travar o pc. [a internet é linda]

A pessoa que gravou o vídeo tinha Windows XP, então acredito que vá funcionar para qualquer versão. Caso você tente, comenta aí o resultado. ;)

sexta-feira, janeiro 31, 2014

A greve, o trabalho, Porto Alegre em chamas!

O título desse post é o resumo da minha semana. Vivo em Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul, o que se acha melhor em tudo. A cidade gosta de ser conhecida como a do "estilo europeu", a que tem povo consciente e politizado; pro marketing é considerada a de clientes exigentes, de comportamento peculiar e diferenciado, difícil; para quem vive aqui, uma cidade como outra qualquer do braziu.
 
Assembleia dos trabalhadores rodoviários de Porto Alegre, 31/01/2014
Fonte: Sul 21
Pois a cidade fria, intelectual e politizada está em chamas. Ondas de calor têm assolado a população; nas ruas, barulho de gente, mas ônibus não há. Os acordos trabalhistas dos rodoviários não se saíram bem, a greve foi o remédio; o povo intelectualizado foi às ruas, não para protestar, mas para ficar nas paradas lotadas, “desprevenidos” com a falta de ônibus. A semana inteira em greve, o assunto está na mídia convencional, está minuto a minuto na internet, e o cidadão não sabe?

Não... Não é isso. É que o cidadão é responsável e trabalhador, então ele vai, nem que seja a pé. Não, também não é isso. É que o trabalhador tem medo de dizer ao patrão, que ele não é tão rico, que o salário dele já tem desconto de 6% de vale transporte, o qual não pode ser usado quando não tem ônibus. Então ele corre às ruas pra ligar do meio do tumulto e se sentir menos culpado por ser miserável, ou levanta uma grana pra sustentar passagens em lotações ou táxis. Existe lei trabalhista que protege tanto os grevistas quanto os afetados pela greve. Mas o povo intelectualizado a desconhece, a ignora.

Mas porque tanto tumulto, e essa paralização? A história é longa e eu não vou parar para contá-la, embora saiba e tenha as minhas considerações. O que acontece é que estamos vivendo tempos difíceis. O capitalismo está entrando em colapso. Crescemos num país subdesenvolvido, que agora quer bancar de grande "em desenvolvimento", com estrutura de "terceiro mundo".

A verdade é que não cabe mais tanta exploração, trabalho de burro de carga com salários medíocres e qualidade de vida zero. A sociedade do consumo quer aproveitar a vida também. O povo, mesmo não sendo intelectualizado, cansou de ser massa de manobra das politicagens desse país podre de corrupção.

A greve deve mesmo ter começado como obra da politicagem visando o aumento da passagem, com sindicato e empresas aliadas e o prefeito apoiando. Mas os trabalhadores não aceitaram os acordos, porque “óbvio” nenhum os favorecia. É provável que tenham aproveitado o momento para se manifestar. É greve, sim. Justa e legal! 

Ninguém vê o lado deles? Claro que não! A sociedade do consumo é egoísta, quer o seu bem, o seu direito de ir e vir, e de aproveitar a vida. Não importa como. Poucas são as pessoas que entendem a pressão que esses trabalhadores passam, o que ganham e como vivem. Então, o movimento foi criminalizado, julgado e os manifestantes, massa de manobra, os culpados!

Por outro lado, quem se preocupou em saber que as empresas têm faturado milhões com os sucessivos aumentos de passagens abusivos, que não foram repassados aos trabalhadores? (TCE aponta que faturamento das empresas de ônibus de Porto Alegre superou R$ 481 milhões em 2011)

Quem se preocupou com a máxima: as empresas atuam sem licitação e o transporte é público? (Sobre o transporte coletivo: 25 anos, bodas de ganância e omissão)

Será que alguém percebe que, ou os trabalhadores param de vez até que todas as questões sejam levantadas e resolvidas, ou mais uma vez a greve vai favorecer apenas as empresas? Se não se unirem agora, a greve fica pelo aumento da passagem, eles continuam sendo explorados e as empresas ganhando mais do que nunca.

Até quando?
Que porcaria de país é esse?
E de onde vem toda essa gente ignorante e egoísta?

Tenho quase certeza que eu não sou daqui...



:s

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...