domingo, setembro 23, 2018

Vem conferir minhas leituras de agosto

Antes que setembro acabe ainda tá valendo fazer aquele resumo das leituras do mês anterior, né? Vejam como foras as minhas leituras e uma breve opinião sobre cada uma delas.


As leituras de agosto minguaram. Um pouco por causa de "A máquina diferencial" e outro pouco por uns problemas que tive. Mas, ainda assim foram 5 livros lidos! E no fim, até que foi uma boa marca.

Pedra no céu, Isaac Asimov

Nota: 5
Livro maravilhoso! Eu descobri na apresentação do livro que este era o primeiro do autor. Onde ele introduz o universo para muitos outros livros, incluindo o da série "Fundação". E a história em si é muito rica. Tem viagem no tempo, revolução, conspiração, demonstração de um futuro fantástico, de um planeta deteriorado com humanos sendo o "fiofó" do universo. Quase jogados à própria sorte.

Eu fiz uma resenha em vídeo desse livro que está no meu IGTV, clique aqui para assistir.



O tempo desconjuntado, Philip K. Dick [Resenha]

Nota: 4
Muito bom! O Philip K Dick tem o seu estilo de escrita, envolvente e fluida, e essa história chega a flertar um pouco com o suspense.  O clima de “teoria da conspiração” que ele cria é sensacional.

Acompanhamos Ragle Gumm com o coração na mão, temendo pelo seu futuro. Descobrimos aos poucos, junto com o personagem, tudo que o cerca e quando terminamos de ler ficamos boquiabertas. Essa é a expressão que melhor se encaixa. Fechei o livro e fiquei pensando, pensando…

Que loucura foi essa!?


Solaris, Stanislaw Lem

Nota: 4
"Solaris" entrou para minha lista de melhores do ano. Que livro! O autor conta a exploração de um planeta misterioso de um jeito tenso. Narrado em primeira pessoa, acompanhamos um Psicólogo desde a chegada, sozinho, ao planeta, onde foi se juntar a expedição.

Todas as descobertas dele vão se tornando as nossas, a imersão é quase imediata. E as doideiras que acontecem por lá, olha, Stanislaw Lem tinha uma imaginação fértil e criativa/inventiva impressionante.

A história é tensa e envolvente do começo ao fim. É simplesmente uma obra de arte.

A máquina do tempo, HG Wells 

Nota: 3
 Diferentão! Estava há algum tempo querendo ler esse livro e foi uma surpresa e tanto encontrá-lo num sebo, por acaso. Um conto, praticamente, curtinho e muito bem elaborado. Nele acompanhamos um "viajante do tempo" contando como foi a sua experiência, a sua primeira viagem no tempo depois de criar uma máquina.

Os conceitos utilizados pelo autor são muito originais, e a sequência dos acontecimentos dramáticas. A gente se envolve com a narrativa, sente pena do viajante. É uma história bem curiosa.



Histórias de robôs, org. Isaac Asimov

Nota: 3

Bom, mas com contos que já tinha lido. Nesse livro de contos temos "O homem bicentenário", que virou filme com o Robbie Williams, lembram? O filme tem um final deprimente, mas é lindo. Esqueçam dele para ler o conto, que é muito melhor, faz muito mais sentido.

Os demais contos do livro também são muito bons, tem Philip Dick e outros autores que eu ainda não conhecia e já quero buscar a bibliografia. Nesse livro, como no primeiro, são reunidas histórias de robôs de autores consagrados, e quase todos seguindo aquela ideia otimista do Asimov para essas histórias. Todas muito densas, com muita reflexão. Eu amei.



A máquina diferencial, William Gibson e Bruce Sterling.

Nota: 1
A maior decepção do ano, muito chato! O autor é o mesmo da Trilogia do Sprawl, que tem Neuromancer, Monalisa Overdrive e Count Zero. Histórias que praticamente inauguraram a literatura cyber punk.

Em A máquina diferencial, Gibson divide a autoria com Sterling, que eu ainda não conhecia. A história não faz sentido, não tem propósito, é arrastada, cheia de detalhes que não servem para nada. Parece um exercício de paciência. Nunca imaginei que um livro com a autoria do William Gibson pudesse ser tão desastroso.



E essas foram as minhas leituras do mês. Contem aí o que acharam, se gostaram de algum deles em especial!

=P




sexta-feira, agosto 03, 2018

Confira as minhas leituras de Julho!


No mês de julho muinhas leituras renderam e muito. Confere aí a lista de leituras e uma breve opinião sobre cada uma delas!



Interferências, de Connie Williams 5⭐


Esse livro veio da parceria que temos, o site Estação Nerd e eu, com a Companhia das Letras. Os livros são selecionados por eles e Interferências foi uma grata surpresa.

É uma história de ficção científica leve com romance divertido. O crush da protagonista é um nerd muito fofo, fã de Doctor Who. A história é bem construída e faz pensar muito sobre a comunicação nos dias de hoje ao tratar da "telepatia".

A estória se passa num futuro não muito distante em que um tipo de cirurgia no cérebro pode ser feita para aumentar a conexão entre casais. Com a protagonista do livro essa cirurgia da muito errada: além de não se conectar com o namorado, e sim com outra pessoa, ela descobre que o namorado é um pilantra. Uma história muito boa!


Desintegrados, de Neil Shusterman 4⭐



Continuação de Fragmentados, mas com uma abordagem digamos que "nova" sobre essa sociedade maluca que resolve permitir a divisão de adolescentes (seus corpos e órgãos) para doação. Nesse livro um novo ser é criado a partir dessas partes.

E daí em diante, além das discussões sobre o valor e direito à vida, a criogenia também entra em pauta. A escrita do Neil Shusterman é muito boa. A única coisa que não gostei foi que o livro tem muitas histórias misturadas e acho que o autor se perdeu um pouco, ficaram meio confusas algumas partes.

Mas, é uma história boa e não dá pra largar não! Agora, além da resistência pelo fim da fragmentação, o mercado negro de órgãos e a criação de um ser a partir de fragmentados torna a trama ainda mais conturbada e os questionamentos sobre o que é e o direito à vida estão ainda mais intensos.


Vento à porta, de Madeleine L'engle 4⭐

A continuação de "Uma dobra no tempo" é bem interessante. É um livro que pode ser lido sem conhecimento prévio. E acho isso bem legal. Vai que alguém cai de paraquedas nessa história, o único prejuízo será não conhecer (ainda) os personagens.

Mas, é claro, segue com a família nerd do primeiro livro e com aquele tom leve e bonitinho já visto em "Uma dobra no tempo". Dessa vez a aventura é mais confusa (se é que isso é possível). Em vez de viajarem a outro planeta, eles entram no mundo microscópio. É bem curioso.

Fiquei com muita vontade de ler os demais livros dessa série que tem 5 histórias.


A mão esquerda da escuridão, de Ursula K Le Guin 3⭐


Um clássico de ficção científica, muito bem escrito e com discussões de gênero incríveis.

Um humano chega para tentar um acordo interplanetário no planeta Inverno. Lá ele encontra seres assexuados.

Imagine que as pessoas de "Inverno" (o tal planeta) não têm genero. Um fenômeno acontece num período do mês (tipo um cio) em que eles encontram o parceiro e na hora do "coito" desenvolvem o lado feminino ou masculino. Então qualquer dos dois pode engravidar, por exemplo, e todos são iguais. Isso bagunça bastante a nossa cabecinha limitada.

As consequências disso é uma confusão para nosso cérebro limitado, e as possibilidades para essa civilização é de dar inveja.

Mas, a escrita é arrastada, e bem "fantástica" em muitas partes e por isso foi bem difícil de ler, e sofri um pouco.


O homem cobra, de S. Spagatas 3⭐


Esse livro me foi enviado pela autora. Eu estava super curiosa por essa historia. É um romance adolescente misturado com fantasia. Até a parte de romance adolescente eu me diverti muito.

A história é contada pela protagonista, Sofia, uma adolescente no último ano do ensino médio, solitária, tímida e com a sua avó doente. Fato que dá início a saga dela com o seu "homem cobra". 🐍

O livro mistura essa parte fantástica e misteriosa com um romance adolescente. Eu não gosto de romance, mas o fato de ser adolescente deixa tudo muito leve e divertido. A autora escreve com a linguagem simples e dinâmica de uma adolescente. Inclui mensagens do "whats" e termos muito atuais, hashtags e expressões geek. 😅

A partir da fantasia eu comecei a achar menos legal (porque não gosto desse gênero) e porque fiquei irritada com o tal do príncipe. Gente, ele é muito mimado, machista e babaca. Fora o fato de ser lindo, não sei o que a Sofia viu nele. heheh

O livro terá continuação, a autora trouxe vários personagens, histórias, uma trama complexa, que deve se desenrolar no próximo livro. Então, não tem como saber (ainda) como vai ser essa história, por isso dei 3 estrelas.


HQ Garota Ranho, de Bryan Lee O'Malley e Leslie Nung 3⭐


Mais um enviado da Companhia das Letras. A HQ é linda, graficamente falando. E a história é bem legal. Embarcamos no dia a dia de uma blogueira famosa e descobrimos que a vida aparentemente perfeita, não é tão legal assim. A trama se torna policial e termina deixando um suspense no ar. Dá muita vontade de saber como continua!



Ponto sem retorno, de Gabriela Simões 3⭐


Mais uma parceria, a autora me enviou esse livro há meses (que vergonha) e só agora consegui ler porque foi enviado em PDF. A autora é portuguesa e isso deu um toque especial para essa leitura. O livro é em português e entendemos tudo, mas, tem aquelas expressões portuguesas, e para mim foi bem divertido.

O livro conta a história de uma "filha de bruxa" que vive escondida desde o seu nascimento porque as bruxas são caçadas no reino em que ela vive. Por obra do destino ela vai parar no castelo e se vê cercada por seus inimigos e ao mesmo tempo, assediada pelos príncipes do castelo. É um romance adolescente, mas muito bem construído e termina em meio ao início de uma batalha.

Simplesmente desesperador, porque a gente fica sem saber o que acontece depois. Perguntei para a Gaby quando sai o próximo livro, e ela desconversou. hahaha


Essas foram as minhas leituras. Aguardem pois, em breve, farei a resenha completa de alguns desses livros por aqui.


=P

segunda-feira, julho 09, 2018

Resenha de Histórias de Robôs, do muso Isaac Asimov

Um dos livros que mais gostei de ler esse ano. Leia a resenha de "Histórias de Robôs", do meu muso da Ficção Científica Isaac Asimov, e entenda por quê!


O nome em destaque nesse livrinho é o de Isaac Asimov, pelo seu histórico e maestria nas histórias futuristas envolvendo autômatos. Mas, justiça seja feita, o livro de contos teve a edição também de Patrícia S. Warrick e Martin H. Greenberg.

A primeira coletânea, cujas duas seguintes ainda preciso ler, conta com oito contos selecionados por Patricia, Martin e Isaac e divididos por “categorias”: Antes da era eletrônica, As primeiras histórias de robôs, Os mitos da criação e A revolução da inteligência.

Nem todos os contos são de Asimov, apenas dois, na verdade. Os demais são de outros autores que contemporâneos ou mais antigos, que escreveram histórias notáveis, a ponto de serem dignos de fazer parte dessa coletânea.

Só para vocês terem uma ideia, terminei a leitura e fiquei com vontade de ler tudo de novo. Quem já passou por essa situação?

Acontece que esse livro de contos é fantástico. Em cada uma das histórias, os autores problematizam uma situação que os robôs e a humanidade poderiam enfrentar. Além disso, nota-se em cada história a semelhança com algum game, filme ou série atual. Certamente esses autores escreveram a história da Ficção científica, delimitando algumas situações que seguem sendo reproduzidas até os dias de hoje.

Mas, não pensem que se trata de revoltas e guerras. Não. Eles tratam de dilemas existenciais das máquinas, da capacidade humana de aceitá-los, e também deles entenderem, ou como seria essa relação. Onde estariam os robôs na nossa sociedade? Todos de uma sensibilidade que, a primeira vista (com esse título “histórias de robôs”) ninguém imaginaria. A maior parte dos deles são dramáticos, e senti uma angústia pelos dilemas que as máquinas enfrentaram. Em outras me diverti muito com os desfechos surpreendentes. Ou seja, um livro maravilhoso!


Recomendo muito a quem curte histórias criativas, imaginativas e reflexivas sobre o futuro e a humanidade.


Confira as histórias contidas neste volume:

Prefácio: “Os robôs, os computadores e o medo”, Isaac Asimov

Antes da era Eletrônica: um robô do século,
“O feitiço e o feiticeiro”, Ambrose Bierce

As primeiras histórias de robô
“A máquina perdida”, John Wyndham
“Rex”, Harl Vincent
“Robbie”, Isaac Asimov

Os mitos da criação
“Adeus ao mestre”, Harry Bates

A evolução da inteligência
“A volta do robô”, Robert Moore Williams
“Mesmo que os sonhadores morram”, Lester del Rey
“Satisfação”, A. E. Van Vogt


Quem aí ficou interessado em ler? Recomendo muito, ele é muito mais do que parece e serve muito para acabar com o preconceito quando aos livros de ficção científica. Asimov é demais!

=p


Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...