sábado, dezembro 29, 2007

A(s) festa(s)

Todos animados. Há muito que se comemorar! (?)
Como não poderia deixar de ser, um ano novo está por vir, e com ele a esperança de dias melhores e de uma vida nova! (?)

Quanta bobagem! Daqui alguns dias passamos para um novo ano com os mesmos problemas e a mesma carga emocional que estamos carregando agora.

Mas as esperanças se renovam! (?)

Enfim, é sempre bom ter esperanças. Mas é preciso entender que ter esperança não é o bastante, mais do que isso, se não fizermos nada, nada será feito, nada acontecerá, e isso independe de o ano acabar ou não.

Pessoas mortas nas estradas, o comércio comemora o sucesso nas vendas, pessoas ainda jogadas na sarjeta como animais; animais em casa com vida de cão moderno, mimado, que deixou de ser o melhor amigo para se transformar no "filho".

Que as esperanças se renovem!
Que as mentes mudem!
Que as vidas que precisem ser mudadas, realmente mudem, se renovem, melhorem!
Que isso deixe de ser um discurso, que vire realidade!

Recebi uma correspondência com uma frase que fez muito sentido: [...] é muito fácil mudar o mundo. Basta mudar uma única mente: a sua. [John Cage]

Talvez só mais um discurso, aliás, o que ouço desde que me entendo por gente. Será mesmo que, se mudarmos nossos hábitos, faremos alguma diferença considerável para o mundo?

Palavra de geógrafa: "até mesmo o fato de escovar os dentes causa impacto ambiental"!

Por favor, não parem de escovar os dentes, mas, pensar a respeito pode ser interessante, quem sabe exterminar hábitos desnecessários, mudar o discurso se ele não condizer com o que se pensa realmente sobre isso ou aquilo, se não condiz com o que fazemos?

Aí está uma boa dica de reflexão para essa época do ano e também para encerrar o arquivo de 2007 no blog. Nada de balanço sobre a minha vida pessoal ou algo do gênero, isso não faz o meu tipo, principalmente se a minha vida vai tão bem, não há o que analisar, comparar ou reclamar!

;)

sábado, dezembro 01, 2007

E tu, vais pra onde?

Sexta-feira, 01 de dezembro de 2007 aproximadamente 3h da manhã.

As pessoas queriam sair, se divertir, estavam em uma cidade propícia para isso, não a maior capital do país, mas uma grande cidade.Entretanto, não contavam com a atrapalhação causada pela suas inexperiências em baladas numa sexta-feira, bem como a sua falta de discernimento, já que tinham acesso a internet e muitos outros meios de comunicação para saberem em que estavam se metendo.

Pois bem, eis que saíram à noite, pegaram caminhos errados, tomaram decisões erradas, tomaram ainda quatro táxis, tudo para acabar exatamente no lugar onde não queriam estar. Aliás, muitas das coisas que não queriam fazer por falta de dinheiro acabaram por serem feitas de forma incoerente, já que não atingiram os seus objetivos gastando mais do que gostariam.

Mas, isso não importa. É errando que se aprende, já diz um velho ditado. Ahh! Mas quem se importa com ditos populares?

Deveria ter estudado mais, dormido mais, descansado mais. Porém, é certo que não teria uma história para contar... E até que ponto, pergunto eu, tem importância em nossas vidas ter uma ou outra história para contar?

* É isso II

quinta-feira, novembro 29, 2007

Um amontoado sentimentalista de clichês


Quanto mais se pensa no que se pretende escrever, menos conteúdo consegue-se absorver para tal fim. Pensei por muito tempo no que postar nesse blog, aliás, a intenção deste nunca foi ser o mais original, também nunca me passou pela cabeça fazer dele um diário sentimental. Entretanto, ainda sou um ser humano, e como tal, penso, sinto. Logo, não me podem condenar por escrever das minhas coisas.

E, em algum momento no passado desse blog tem registrado o que penso sobre o que significa escrever acerca de nossos sentimentos, isso sempre fica piegas, parece mesmo um amontoado sentimentalista de clichês. Principalmente se estamos chateados, aborrecidos, desanimados quando resolvemos escrever sobre isso. E ainda não desisti de não parecer tão banal ao escrever sobre isso. Não sou uma escritora de verdade, apenas gosto de exercitar a transcrição dos meus pensamentos e publicá-las aqui de vez em quando. Então... Posso escolher a forma de me expressar, expressar-me-ei sempre como eu bem entender e sentir-me-ei muito feliz sempre que conseguir fazer com que a idéia proposta seja captada.

No post anterior estava mesmo precisando escrever tudo o que escrevi, para aliviar a tensão, e também para mostrar que tenho sentimentos, que sei ser piegas quando eu quero, e o faço muito bem!

Agora volto a velha forma, ou não, por que esse blog já não tem uma identidade, vai se moldando com o passar dos dias e tendo o conteúdo alternado de acordo com o meu humor. O período agora é de trabalho. Não para o mundo capitalista, mas para a minha mente. Muito aprendizado, muita força de vontade, muitas expectativas de e para a minha pessoa sem que isso inclua as demais. Esse pseudocontrole é realmente muito bom. Uma fase boa "enfim". Já escrevi isso diversas vezes, e gosto disso. Entre os "altos e baixos" da vida, é bom saber que sou um pouco normal. Ser Deus o tempo todo pode ser chato e ainda mais banal.

* É isso!

segunda-feira, novembro 12, 2007

Sábado à noite tudo pode mudar

Esse final de semana foi de reflexão intensa. Estava observando tudo e todos e cheguei as mesmas conclusões de sempre. A vida não é difícil, mas se podemos complicar, por que facilitar, não é mesmo?

No sábado cinco meninas saíram para a noite de Porto Alegre, "Girls just to want to have fun" diz a letra daquela música antiga, mas que, muito embora pudéssemos considerar o assunto ultrapassado, ainda é muito aceita no meio masculino. Nunca procurei saber quem escreveu essa letra, mas deve ser coisa de homem.

Pois saibam que essas cinco garotas saíram à noite para se divertir, saíram para arrasar, e arrasaram, mas não investiram em conquistas, dançaram bastante, beberam pouco. E, no fim, acabaram na festa como se estivessem casa: sentadas em grupo, falando bobagem e cantando as músicas que assistiam num DVD do Raul (Tributo ao Raul).

As cinco garotas não foram para a festa caçar, não foram para afogar as mágoas, foram para se divertir, muito embora todas elas, e tenho certeza do que estou escrevendo e somente por isso me permito a tal confissão, trocariam aquele tipo de diversão por um encontro. Não com qualquer um, obviamente, todas elas estavam pensando em alguém naquela noite.

Mas a vida, ela é assim! E as gurias saíram na noite com suas roupas e maquiagens mais bem elaboradas, arrasaram quarteirões, se divertiram apesar de tudo: ainda que não fosse exatamente o que elas queriam. Nem toda diversão depende de um lugar escuro, com música alta, com conquistas e bebedeiras. Essa é a diversão alternativa. Na verdade o que as mulheres querem é ser amadas e respeitadas. E, na pior das hipóteses, pelo menos serem respeitadas, o que nem sempre acontece.

Por isso, saímos à noite e, ainda que encontremos alguém legal, não nos custa ser indiferente, ser independente e tudo o mais. Aprendemos com as atitudes masculinas que não vale a pena nos sujeitarmos em certas situações e vamos endurecendo, transformando-nos, até o esgotamento.

Apesar disso, ao contrário do que pode parecer, o domingo não foi de ressaca. Já estamos acostumadas com isso, afinal. Domingo é só mais um dia chato em que as informações são processadas e descartadas para que seja iniciada a semana. E um novo dia, uma nova semana!

E ainda tem aqueles que se julgam maravilhosos, honestos, injustiçados por que agirmos assim. Ora! Não somos é tão idiotas quanto a insensibilidade de vocês nos fazem parecer, um dia cansamos e partimos rumo ao que parece ser aquilo que realmente mexe com algum sentimento masculino, já que somos nós quem precisamos mudar ou nos submeter.

A indiferença dói, faz-nos evoluir, à eles, "rhá!", apenas incomoda.

E das cinco garotas que só queriam se divertir... Continuam vivas, e mais unidas do que nunca!

* Amo vocês amigas!

Ainda que nem todas se preocupem em ler o que escrevo! ¬¬

quarta-feira, novembro 07, 2007

E: ^^
E: !
E: :)
E: ...
E: ??!?!?!?!?!?!?!!?!?
E: ...__... !
E: ???????????????????
E: =*
E: ^^ !!
E: ...
E: !!!!!!!
E: zzzzZZzzZZZZZ
E: :(
E: !
E: !!!!!!!!!!!!!!
E: ...
E: ?
E: ^o)
E: ?!?!??!?!
E: Oo
E: ???
E:zzzZZZzzZZ
E: ! =/
E: zzzzzZZZZzzz
E: ??????
E: zzZZZrrkZZZZZzzzzzz
E: Adeus!
E: <o?

segunda-feira, novembro 05, 2007

Já há algum tempo sem postar nada por aqui - não por não ter o que escrever, mas por estar com as idéias muito desorganizadas para publicá-las - estudando um pouco de literatura, li sobre a obra e vida do Gregorio de Matos, encontrei essa frase que me fez refletir bastante.

Se ela fosse um desenho, certamente iria girar de todos os lados possíveis para tentar vê-la de todos os ângulos possíveis e, assim, melhor entendê-la. Essas palavras estão girando no meu cérebro, que sempre tenta encontrar um novo sentido, ou entender exatamente o siginificado disso, parece que sempre falta alguma coisa, veja:

"O todo sem a parte não é todo; a parte sem o todo não é parte; mas se a parte o faz todo, sendo parte, não se diga que é parte sendo todo."

=/

segunda-feira, outubro 22, 2007

E lá estávamos, sem nada pra fazer e eis que surge a tal da festa. Eu, como representante oficial da década, diverti-me a valer, já os demais... Nem tanto! Sinto falta de companhias mais cientes de tal tema nessas festas por que, por mais que algumas pessoas se digam adoradoras dessa época brilhante (literalmente, e extravagante), só a pessoas que freqüentaram as discotecas ou reuniões dançantes daquele tempo, bem como aquelas que ouviam rádio e eram contaminadas por esses hits e ritmos em tempo real é que entendem o valor de cada uma daquelas canções que tocam nas festas anos 80.

É muito engraçado ver a confusão dos dj's, que se confundem, não sei se propositalmente, tocando músicas que nada tem haver com a época, pura e simplesmente por serem ridículas... Mas, tudo bem! A festa não perde o seu caráter divertido, descontraído por causa disso.

A banda animou bastante e foi fiel ao contexto, ganhou credibilidade ao iniciar o show com um episódio do He-man, seguido da música que remontada ficou muito legal, depois Raul e a clássica "Pluct Plact Zuum" seguida da mais grotesca dos anos 80 "Dá pra mim".

Abaixo o set list completo tocado pela banda:

1 - Abertura - He-man
2 - Raul Seixas - Pluct Plact Zuum **
3 - Polegar - Dá pra mim


4 - Bon Jovi - Born to be my babe
5 - U2 - Pride **
6 - A-ha - Take on me **
7 - Erasure - Little respect **

8 - The Outfield - Your love

9 - Lobão - Vida louca vida
10 - Legião Urbana - Geração Coca-cola ( destruída =( )
11 - TNT - Ana Banana **
12 - Garotos da Rua - Lá em casa
13 - Lulu Santos - Toda forma de amor
14 - Marina Lima - À Francesa


15 - Van Halen - Ain't talking love
16 - Skid Row - Youth gone wild
17 - Queen - Crazy little thing called love ***
18 - Roupa Nova - Wisky a go-go ***
19 - Raul Seixas - Aluga-se ***
20 - Barão Vermelho - Exagerado ***
21 - RPM - Rádio Pirata ***
22 - Whitesnake - Love Ain't no stranger
23 - Scorpions - Rock you like hurricane
24 - Van Halen - Jump **


25 - Iron Maiden - The trooper

* Nota: Sempre quis fazer isso!!! \o/
** Pontos máximos do show sob o meu ponto de vista!
*** Essa seqüência foi fantástica, me fez desistir de ir embora antes de acabar o show!

O show foi legal, mas a diversão não teria sido completa se não fossem as demais músicas tocadas. Destaque para The Cure, Beattles (a clássica do "Curtindo a vida adoidado"), Cindy Lauper, Madonna, New Order e tantas outras...

Vale lembrar que essa foi a primeira festa anos 80 com público considerável! A do meu aniversário, em outra casa foi meio palha, a outra no "Opinião" serviu tão somente para conhecer o meninu Guiiii - por isso não posso dizer que foi totalmente perdida! ;)

Agradecimentos ao milagre do ano: presença ilustre de Paola! e também a permanência até que longa da Dedê; Ivanildo e sua arte de se reborcar! ;)

Grande festa! o/

quarta-feira, outubro 10, 2007

Viver!


- Viva e aprenda!


- Viver e aprender...


- Viver é aprender?
- Difícil fazer a escolha certa na hora certa, mais difícil ainda é pensar rápido e usar uma experiência passada como solução para uma situação atual sem ser injusto!


- Queria muito...


- Será mesmo?
- A verdade é que a mente fica "bagunçada", confusão geral, ligações sem sentido, agitação molecular, sinapse prejudicada ou demasiadamente excitada!


- No meio da confusão é tão difícil pensar, por mais esperto que se seja, e por mais que já se tenha sido injusto ou injustiçado, parece que cada situação é nova e diferente, quando na verdade, ainda somos nós e nossos vícios e traumas, sempre...


- Por que então, ao invés de fazer a coisa certa, na hora certa, deixamos que a confusão predomine e, muitas vezes, mesmo sabendo, tendo aprendido, continuamos agindo como se fosse a primeira vez, ou como se fosse a última - ambas atitudes equivocadas - e fazemos as coisas exatamente como elas não deveriam ter sido feitas?
- Estou realmente tentando raciocinar enquanto o fogo é brando e o leite ainda não derramou!


- Pelo menos uma vez...


- Será isso verdadeiramente possível?
Como é bom ter amigos que dizem a coisa certa, na hora certa, quando até conseguimos ouvi-los!


Obrigada, pessoas por mim tão queridas!


:)
* então é assim que se compõe organizadamente alguma idéia?! :))))

domingo, outubro 07, 2007

Rain drops keep fallin on my head...
Estava pensando nisso: "isso é viver, é aprender, "hakuna matata"..."
Mas estudar é preciso, então, deparei-me com a máxima: "Enquanto falamos, foge o tempo inimigo / aproveita o dia sem acreditar o mínimo no amanhã." - Horácio.
=/

sexta-feira, outubro 05, 2007

Algumas letras de música me fazem pensar em como somos iguais em lógica de pensamento, quando nos propomos a refletir sobre a nossa existência. Renato Russo inicia a tão conhecida: "Tempo Pedido" com frases que toca a fundo àqueles que têm essa preocupação: "Todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou, mas temos muito tempo, temos todo tempo do mundo".

"...todos os dias, antes de dormir, lembro e esqueço como foi o dia" – Realmente: não temos tempo a perder! Além de lembrar e tentar esquecer do dia, penso nos dias que virão. Esse exercício diário por muitas vezes tira-me o sono, a vontade de seguir em frente.


Sempre que me deparo com essa situação acabo por resolver alguma coisa, crio problemas novos para solucionar os antigos e assim a vida continua, o mundo gira...


Por muitas vezes invejei aqueles que não refletem sobre "as coisas da vida", seria mais fácil pensar apenas naquilo que nos faz bem, viver o dia de hoje, errando ou aprendendo, não importa. Quando se erra, esquece-se, quando se acerta, temos história para contar, ou nos esquece-se também, erra-se o que antes fora acertado. Não importa!


Não, para mim importa sim. Não quero errar sempre, e quero também aprender com os acertos. Esse ano está sendo longo. Longos dias de aflição, autoconhecimento, experiências, desilusões e muito aprendizado. Como acertei com erros e errei com acertos. E só num momento de calmaria se percebe isso; é o que me faz não me desesperar e seguir em frente: hora dessas alguma coisa vai fazer sentido e, aí então, tudo ficará bem.


Estou bem!

:)

segunda-feira, outubro 01, 2007


Musica? Outra vez? Não...

=/


Não queria ser repetitiva, mas o momento é de anexos sendo salvos, de músicas repetitivas martelando em minha mente e confusão nos meus pensamentos... Sempre isso!


Certo tempo depois... (Agora que o supervisor se foi...)


A inspiração de pseudos-poetas, principalmente aqueles que não podem viver de poesia é mesmo muito cruel. Ainda mais para aqueles que não são prevenidos. Deveria eu andar sempre com caneta e bloco, mas não faço isso e, com essa atitude perco muitas oportunidades de escrever, quem sabe, o texto da minha vida.


Estava voltando do Parque Farroupilha (Porto Alegre - RS), mais conhecido como Parque da Redenção, e deparei-me com uma cena que me remeteu aos tempos mais remotos da minha infância. Estava eu passando próxima de uma árvore de jasmim.


Aquele perfume que se faz presente, que anuncia tal presença, e que quando se cheira a flor muito de perto não se sente ou não parece tão intenso, foi como se tivesse atravessado um portal diretamente para 1987, no quintal de uma das minhas antigas residências. Que coisa fantástica essa associação feita pelo cérebro com músicas, perfumes e coisas do tipo!


Nesse mesmo instante tive uma inspiração muito forte, daquelas em que as palavras fluem com tal facilidade e clareza, um jogo inteligente de palavras e recursos lingüísticos que não se consegue "forçando" a mente, sem esse tipo de sensação inspiratória. Bom, mas eu estava na rua, sem caneta e bloco. Isso me chateia profundamente.


Então, com o intuito de evitar aquele sentimento angustiante eu tive a brilhante idéia de cantarolar mentalmente uma música chata, grudenta, irritante... E funcionou! :D Na hora a frustração não veio, mas depois, e até agora penso: pena que eu não tinha caneta e bloco! =/

Não lembro da relação que faria com a flor, perfume e o teletransporte ao passado, mas agora, pensando no que se passou, me veio a idéia de uma metáfora bem interessante sobre o que é conhecer uma pessoa fascinante. Vê-la de longe, observá-la... Tudo nos remete a antigas sensações, algumas boas, outras nem tanto.


Quando as sensações boas superam as ruins e, principalmente, se dentre essas sensações estiverem o desejo pelo desconhecido e pela aventura, aventuramo-nos e ao nos aproximarmos... A flor parece não ter aquele perfume encantador que nos atraiu.

Isso não significa, de forma alguma, que devemos manter uma certa distância das pessoas, por mais encantadoras que pareçam. Na verdade, é preciso saber que o jasmim é muito mais encantador quando percebemos que ele sabe a medida certa do perfume que deve exalar para atrair quem está longe, fazendo-se sempre presente e agradável, e mais ainda a medida certa a fim de que, ao nos aproximarmos, não fiquemos sufocados com o perfume em excesso, e saibamos admirá-lo ainda mais, pela sua delicadeza e pela sua complexidade.


Que fascinante é conhecer uma pessoa, e estar perto do que nos inspira.

terça-feira, setembro 25, 2007

"Se fiquei esperandu meu amooor paaasaaaar, já me basta que então eu não sabia amaaaaaaar e me via perdido e vivendo e erros seeem querer me ma-chucar de novo, por culpa do amor"

Essa música está rodeando em meus pensamentos nessa manhã fria e nublada mais conhecida como 25/09/2007. E isso não se deve ao fato de o dia ter me deixado pensativa, reflexiva... Também não significa que esteja "apaixonando-me" e ficando mais leve, pronta para alçar vôo.

É que nos últimos dias tenho ouvido depoimentos de pessoas muito próximas sobre esse tema: o amor, voltar a acreditar nas pessoas, esperar encontrar alguém para amar e ser amado, voltar a ser feliz.

O que deixou caminho aberto para as reflexões e resgatou da minha memória essa música belíssima da Legião Urbana foi o fato de esses amigos com quem conversei serem homens, e mais: homens chateados mas motivados a encontrar "alguém para ficar" - no sentido literal e não aquele atualmente utilizado para expressar "beijar alguém".

Um deles posso afirmar: presta! O outro diz que presta, mas não o conheço o bastante para afirmar que diz a verdade.

E eu, que venho de histórias muito complexas, cansativas e inexplicáveis pensando que nada mais vale a pena, que as pessoas não se respeitam mais - pergunto-me: será? =/

Seja como for, continuo achando linda a letra dessa música, acho bom tê-la novamente vagando em meus pensamentos, em meio a números e discursos, refletirei mais sobre esse assunto - parece que nunca é o bastante - e quem sabe se um dia não chego a conclusão desses meus amigos, de que é muito bom estar apaixonado e que na próxima vez será ainda melhor...

obs: não! acho que não! =P

"... quando se aprende a amaaar, o mundo passa a ser seu, quando se aprende aamaaaar... o mundo passa a ser seu..."


quinta-feira, setembro 20, 2007

O 20 de Setembro

Como aurora precursora
Do farol da divindade
Foi o vinte de setembro
o precursor da liberdade
Refrão
Mostremos valor constância
Nesta ímpia e injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda terra
Mas não basta para ser livre
Ser forte aguerrido e bravo
Povo que não tem virtude
Acaba por ser escravo


E assim formou-se a história do nosso estado. Com muitas lutas, guerras e revoltas. A revolução farroupilha, comemorada hoje foi uma grande revolta da burguesia. Nem mesmo o povo do Rio Grande do Sul, tão politizado, foi capaz de lutar por direitos humanos, por uma sociedade mais justa e etc. Mas também não foi um povo pacato, acomodado; muitos assumiram o ideal separatista e morreram nas batalhas dessa guerra civil que é tão pouco conhecida na história do Brasil.
Graças a história do Brasil e o papel do nosso estado nessa história, aprendemos a não ficar totalmente por fora do que acontece no Brasil e no mundo, sempre atentos a política e oportunidades. Assim, tivemos espaço no poder e regalias para aqueles que se empenharam defendendo seus interesses.
O orgulho gaúcho celebrado nessa semana é bonito de ver, mas a revolução e o que a movimentou durante dez anos (1835-45), bem como os frutos dela colhidos, não são motivo de comemoração.
O nosso estado que quase virou nação, ganhou um hino, o qual está descrito ao lado da figura que é, hoje, um dos símbolos mais importantes em nossa capital, o Laçador. Aliás, um fato interessante é que esse monumento foi inspirado no tradicionalista Paixão Côrtes que ainda está vivo! Esse símbolo marca a soberania do norte industrial que assumia papel muito importante na economia do estado em 1947.
Fica aqui o registro dessa data, que para nós gaúchos, apesar de tudo, é muito importante e legal. O orgulho gaúcho incomoda, mas e daí? Pelo menos respeitamos nosso estado e nossa história. Melhor do que não respeitar nada e deixar tudo como está.
"Povo que não tem virtude acaba por ser escravo"
=)

terça-feira, setembro 18, 2007

Incertezas...


Seguindo linhas de raciocínio, chego a conclusões incertas sobre o futuro, sobre o meu futuro. Não vejo pessimismo, tão pouco otimismo, vejo cenas ofuscadas por luz, lágrimas e sorrisos.

Não acredito no que vejo, tão pouco no que sinto. Apenas observo e nada posso concluir. Por que a situação nunca permanece a mesma, a observação acompanha o pensamento e o tempo não pára.

E para estou, olhando observando... Como alguém, ou algum objeto, que fica perdido em alguma parte do espaço tempo, sem noção, inconsciente, vagando por aí. Não mais como uma folha que se desprendeu de uma árvore. Mas como um insano, fugido do manicômio sem sequer perceber o passo que acabou de dar, o rumo que tomou.

RhÁ! Quanta bobagem, nem ingênua como uma folha ao sabor do vento, muito menos insana ou inconsciente. O que falta é o que não virá, sei disso e já não tenho forças para reagir, por que sei que o tempo não pára e o mundo gira e muda, o tempo todo.

"O que há de errado comigo
Não consigo encontrar abrigo"

...não sei mais do que sou capaz...

=

quinta-feira, setembro 06, 2007

Mil pensamentos...

Fase de repouso para as inspirações; tenho andado bastante pelas ruas, penso em muitas coisas que poderia escrever, às vezes até que vêm bons pensamentos, assuntos, mas logos passam, assim como todos os carros e gentes que vêm e que logo se vão.

Durante muito tempo eu "sofri" por pensar que conheceria pessoas muito legais e que, tão logo o tempo acabasse, elas iriam embora, que a gente acabaria perdendo contato e todos os momentos vividos se perderiam, poucos ficariam na memória.

Pois bem, nos últimos meses, tenho aprendido muitas lições, reforçado muitas delas, e isso me deixa orgulhosa, feliz... ^^

Essas férias foram mesmo incríveis. "Como a vida é maluca", dizia eu no início de agosto de 2007, "A vida é mesmo muito maluca!", digo eu agora que agosto se foi.

Agosto que, por sinal, é o mês do cachorro louco. Nesse mês as coisas mais bizzarras, estranhas e fantásticas acontecem, e de fato, comigo, aconteceram coisas bizzarras, estranhas e fantásticas nesse mês, esse ano.

Hoje é um dia especial, em que mais uma das minhas teorias se mostram muito evidentes, claras e reais:

"Foi pouco tempo mais valeu, vivi cada segundooooo", dizíamos nós depois daquele fim de semana a caminho, durante e de volta de São paulo. De quinta a segunda para confirmar que, sim... Existe muita gente legal nesse mundo, e que bom que uma delas cruzou o meu caminho.

Tão maluca quanto veio, permanece apesar da distância. Sim! A amizade supera as distâncias e, de uma quinta à domigo de agosto de 2007 pudemos comprovar isso. Que beleza!

Feliz Aniversário amiguinha maluca do meu coração!!! :)

Uma homenagem a essa menina, que parece mesmo ter vindo para ficar nessa lista pequena e seleta que é a dos meus amigos, que são tão queridos! Homenagem a todos, aproveitando esse momento em que mil pensamentos passam pela minha cabeça.

***
Obs: se você é de Porto Alegre, clique no gato feliz e adote um gatinho, ou ajude-os. Esse é um dos que estão esperando para serem adotados, é um dos gatos da redenção! Divulgue essa idéia. ;)
Obs 2: a Marisa adorou os gatos e até levaria todos para casa se não morasse numa kit net! ;)

domingo, setembro 02, 2007

Coisa de adolescente...

O mundo é uma grande farsa.
Ao longo da vida tentamos mostrar isso as pessoas, possivelmente por acreditar que elas ainda não se deram conta disso. Com esse objetivo, a vida vai passando e um dia entendemos: todos já sabiam, e assim como eu cansaram.

Mas essa não é, nem de longe a primeira decepção de nossas vidas. Temos muitos obstáculos e... Ora! O que estou fazendo, escrever sobre a vida? Tem coisa mais vazia do que isso?

A vida, os conflitos... Coisa de adolescente; achei que tava inspirada, mas esse assunto nunca rende bons textos, tenho experiência o suficiente para saber que não vai render. Mas eu sonho em um dia escrever sobre a vida e não parecer piegas, adolescente, repetitiva ou depressiva; nem feliz de mais e sem noção.

Ter a noção exata e saber o por que de tudo isso.

"Entre e feche a porta
Tente me entender
Acalme-se, pois você vai ver
Eu posso te olhar
Também posso te tocar
Mas não com o coração...
"

O dia todo com essa música na cabeça. Coisa de adolescente... Deixa!

"A vida é assim
Eu tenho que me acostumar
Os dias irão surgir
O sol irá brilhar aqui
".

quinta-feira, agosto 23, 2007


Da ordem das coisas...

Com a melodia cantada pelo vento,
A percussão ensaiada pelas árvores, que dançam e “barulham” com a força do vento...
Uma folha se desprende, mas não cai.
É agora a protagonista da peça regida pela natureza,
Flutua, espalha-se no céu cinzento.

Há muito quis ser como a folha solta,
Ainda que o medo de um dia cair fosse grande,
Lutei com todas as minhas forças para que esse fosse o meu fim.

Não há muito, a folhinha prendeu-se nos galhos de outra árvore,
Por alguns instantes, ainda protagonista, tinha agora todas as atenções voltadas para ela.
Mas ela, que não almejou em momento algum a liberdade, sentia-se agora presa...
...e soltou-se.

Ao contrário de uma folha ao sabor do vento,
Quis a minha liberdade, quis prender-me por mais de alguns instantes.
Mas a natureza é sábia, e deixa as folhas presas as suas árvores se assim tiver de ser,
Se estava livre, ainda que se perca ou se prenda, é da minha natureza estar assim...
... será por isso que sempre me solto?

domingo, agosto 19, 2007

Recordações...

Resolvi rever meu antigo blog, tive de resgatar esse texto। É incrível como certas coisas parecem não mudar nunca:

É como estar a tres passos do abismo, você dá o primeiro passo por que confia em você, o segundo por que quer sentir a adrenalina e o terceiro por que a vista é excitante e acaba te convencendo a saltar...
São poucos segundos de sentimentos inigualáveis, viagens e delirios, voar como um pássaro, sensação inigualável!
Já sabe como termina, já fez isso antes, ainda tem as marcas da última queda, mas ao se aproximar você só lembra da sensação de estar voando e lembra da queda como consequencia, promete pra si mesmo que não cai mais nessa, mas a natureza é mais forte e você se deixa levar, se joga, se vai... Ao encontro de alguns momentos que acabam muito rápido e te deixam meio doente depois de tudo..
Depois sai escrevendo tudo que sente e acha que nada pode te fazer esquecer a dor, mas logo aparece outro abismo e... Começa tudo outra vez...

"A melodia colorida pra esquecer
O mundo livre que não deixa inventar
A fantasia que promove o temporal
E a calmaria plena no meu quintal"

It's all that I can say!
http://sabeoque.blogger.com.br

quinta-feira, agosto 16, 2007

Da leviandade das coisas...

Num clima carregado, estressante e, por isso, torturante, esperamos pela paz; alguns até se arriscam e vão atrás dela.

Um dia estamos em casa, acordamos com o sol batendo na janela, uma brisa fresca na rua, cheirinho de café recém passado adentra o nosso quarto, a pessoa certa nos trás esse café com muito amor e bom humor tornando esse dia especial...

Não há nada nos pressionando, nem trabalho, nem estudo, nem carência nem qualquer outra coisa ruim. Todos os problemas do mundo ficaram para trás, lá fora...

Esse dia passa e o outro chega como um vendaval, um frio ou um calor excessivo, sem café, sem sol, sem amor... não há mais nada.

O que mudou?

Não mudou coisa alguma se não a forma como lidamos com a situação. As coisas são assim mesmo. Que loucura é a vida e que aventura é viver!

...

Confusão e mais confusa। Parece que isso nunca mais acaba.

sábado, julho 28, 2007

A maldade humana não tem limites...


Dois links: um que requer um tempo para a conscientização, outro que requer estômago.

Por que resolvi publicar isso? Por que alguma coisa deve ser feita... Talvez por que acredite que um dia, alguém pode abrir esse site por caso, ler as coisas que escrevo e, por algum motivo, se interessar por esse post, pensar um pouco na sua existência e na cretinice humana.

Não são só os animais, a humanidade como um todo está se perdendo.

Para o conteúdo dos sites uma palavra: lamentável!

1 - http://www.pea.org.br/
2 - http://www.strasbourgcurieux.com/fourrure/

Às vezes é preciso ser sério!
=´(
É o fim!

sexta-feira, julho 20, 2007

A mente quieta, a espinha nem tão ereta, e o coração tranqüilo.

Sabedoria popular: "A mente vazia é a oficina do diabo".
A minha opinião à respeito é: Depende!

Por muito tempo temi o fato de não ter o que fazer por muito tempo, trabalhava nas férias do trabalho e estudava nas férias escolares. Agora não, aprendi que cada coisa tem o seu tempo e que descansar é sempre bom.

A oficina do diabo pode bem ser uma mente vazia, mas nem todas as mentes vazias estão propensas a esse tipo de domínio.

quarta-feira, julho 11, 2007

Não há nada mais compensador do que alcançar objetivos e ver-se livre deles. Sim, isso é conversa de estudante em férias! =D

Não há nada mais desconcertante do que ter tanto tempo livre, nada pra fazer, muito tempo pra dormir. Sim, isso é conversa de quem não sabe ficar parado! =D

A mente humana é mesmo surpreendente. Nunca estar satisfeito é um das maiores qualidades e um dos piores defeitos que podemos ter. E, quase todas as pessoas enlouquecem por estarem ou não estarem satisfeitas.

Dizem que quando a pessoa tem uma rotina muito estressante deve parar para não enlouquecer; por outro lado, quando param, enlouquecem, por que sentem falta da rotina agitada.

Eu digo por mim: nada melhor do que dormir até não ter mais lado do corpo para descansar!!

E mais: nada melhor do que uma rotina agitada, não ter tempo para pensar em nada e, assim, ter mais gosto em aproveitar momentos em que se pode dormir o quanto quiser.

Sim!!!! Isso é conversa de quem está com a consciência tranqüila! Plagiando alguém, por que a vida é assim, digo: "Viva a mediocridade do estudante universitário brasileiro no nas universidades federais desse Brasil!". Acho que a frase não era bem essa, mas tudo bem!:

AAAAAAAAAA para as aulas dormidas. CÊÊÊÊÊ para as matérias estudadas! Que coisa não?

...

quarta-feira, junho 20, 2007

A cidade está em polvorosa: é Natal? Não, não... Final de um campeonato de futebol.

Até quem não liga a mínima para o que se passa nesse meio futebolísco sabe: Grêmio X Boca, o placar tem de ficar em 4 x 0 para o time gaúcho para que ele se sobressaia com relação ao seu adversário Internacional.

É ridícula, a correria toda para mostrar que são imortais! Nas ruas, nas sacadas, pessoas e mais pessoas... Todas mobilizadas e unidas em duas tribos: as do contra e a favor.

Muita polícia e militares de todas as espécies nas ruas. Muitos estrangeiros chegando em ônibus que são controlados, monitorados, os passageiros revistados. Esquema de segurança de primeiro mundo. Tudo por que o que era para ser esporte virou um pandemônio sem precedentes, as pessoas em estádios ou nas ruas, torcedores fanáticos, enlouquecem e derrubam quem estiverem por perto e forem do contra.

Além disso, tem gente pagando R$200,00 por um ingresso para o tal "espetáculo". Ingresso este que no início do ano custava R$5,00 ou um pacote de café, ou de nescau. Não me lembro.

- Ahhhh! Mas isso era para o gauchão, agora é a Libertadores da América! (dizem por aí)

- Grandes coisas! Passaram a noite chiando na minha rua por causa do Gauchão, o mesmo que fariam por essa tal Libertadores!!! (digo eu)

Sabe, não é que eu não goste de futebol. Acharia isso tudo muito bonito, caso o empenho de torcedores para atazanar a vida dos jogadores do Boca a noite inteira, ou se aquele mar de gente que esteve na Goethe no ano passado quando o internacional venceu o mundial... Se todos eles se juntassem um diazinho que fosse apenas para protestar, protestar por qualquer coisa que não estivesse relacionada ao futebol...

Se isso não fosse possível, que pelo menos usassem suas cabeças para protestar contra a máfia que vende ingressos de R$50,00 por R$200,00 na porta dos estádios em situações como essas.

Poderiam sair as ruas, imaginem: torcida do grêmio e do inter, aquele mar de gente, como em dias em que vencem campeonato, batendo panelas nas ruas e pedindo o fim da corrupção, pedindo que fossem tomadas as devidas providências para minimizar as desigualdades sociais nesse país.

Poderiam ser mais lúdicos, pedir o fim da miséria no mundo, pedir que os países ricos esquecessem as dívidas dos países pobres, pedir que o Buch assine o protocolo de Kyoto, que o Japão pare com a pesca predatória das baleias na Antártida. Ou simplesmente que as pessoas parassem de jogar papéis de bala no chão.

E não critico apenas os torcedores de futebol, mas todos os grupos que promovem a invasão em massa das ruas, como a parada Gay, os encontros dos animaníacos, encontro anual dos adoradores de palitos de dentes, ou dos encontros religiosos promovidos por igrejas famosinhas que têm programa de TV.

Imaginem todos esses grupos reunidos para uma boa causa. Não precisariam deixar de lado as suas crenças ou hobbies, bastaria um dia. Se todas as pessoas saíssem de suas casas ao mesmo tempo um dia que fosse para lutar por alguma coisa, talvez não mudassem o mundo, mas faria toda a diferença nesse mundo cão.

Estou chateada por passar dos 20 minutos de jogo e o Grêmio não ter feito nenhum gol dos 4 que precisa e o Boca ter feito um. É que sou gremista, anti-colorada por tradição familiar; tenho amigos doentes, estou com pena de todos eles.

Era isso!


segunda-feira, junho 18, 2007

Parece que desisti mesmo de tudo, a começar por esse blog. Estou com problemas...

Outro dia um amigo me disse que não acessa o meu blog por que não quer invadir a minha privacidade. Ora! Mas, diga-me por obsequio, o que levaria um cidadão a criar um diário eletrônico de conteúdo aberto na internet se não fosse a intenção de expor o que ele entendesse que poderia ser de conhecimento geral?

Realmente as pessoas não têm muita noção das coisas hoje em dia. Isso não é uma crítica direta a esse amigo. Em outros tempos, uma pessoa não muito fã desse tipo de serviço online me disse a mesma coisa: que não acessava o meu antigo blog pelo mesmo motivo desse amigo agora, o qual está muito ligado no orkut, u-tube e essas outras frescuras.

É interessante isso, antes do Orkut, eram os blogs e fotologs o que as pessoas usavam para se expressar, e era uma forma bem mais verdadeira, no meu ponto de vista. O Orkut é uma bosta! (com o perdão da palavra). As pessoas usam esse serviço para mentir sobre elas, criam uma imagem falsa, manipulam informações... O que nem sempre é possível num blog ou fotolog.

Dá realmente pra conhecer uma pessoa através de um blog. Difícil é o cidadão ter paciência pra ler tanta coisa. Mas, quem leva um blog a sério sabe que isso possível sim...

***

Mudando de assunto:

Estava pensando em um monte de coisas esses dias (como se fosse um hábito exclusivamente meu, todo o mundo, até os menos desprovidos de inteligência pensam em muitas coisas ao mesmo tempo) e me dei conta de que eu tenho um set list que descreve a minha vida pessoal nesses meus... bom, nessa longa estrada! Segue a lista:

1 - Don't Cry - Guns 'n Roses

2 - One - U2

3 - Dosed - Red Hot Chilli Pepers

4 - Original of the species - U2

5 - Without you here - Goo goo dolls

Eu nunca fiz o teste, mas tenho a impressão de que se eu fizer uma playlist com essas músicas para ouvir num momento sossegado o resultado não será lá muito agradável não. Tirando a número um, que é impossível de eu ter guardado más recordações, as demais são retratos de uma desgraceira sem fim. Não que eu tenha me dado mal em todas, digamos que só na maioria. O fato é que o fim de um relacionamento é sempre "o fim", chato e ponto.

De "don't cry" pra cá muita coisa mudou, aprendi e desaprendi muita coisa. Muitas coisas boas e músicas de uma sub-lista poderiam enfeitar essa lista e deixar as coisas bem mais leves. Queria ter acrescentado mais músicas e ter muito mais histórias para contar, histórias boas. Mas, nem sempre as coisas são como a gente quer.

Uma coisa que eu queria aprender, e acho que todo mundo também, é como desligar quando chega o fim. E, mais do que isso, como não se ligar, ou como se ligar, quando uma história não vai ter nem mesmo um início.

Quase que entra aí um 6° item nessa lista, mas parece que dessa vez eu fugi em tempo. Para adicionar essa música, eu teria que assumir o que não é interessante na atual situação; não houve história, apenas uma música martelando na minha cabeça. Além disso, se eu fosse colocar todas as músicas que marcaram de alguma forma, estaria aqui uma lista imensa, com pouca história pra lembrar, o que não era a intenção.

Mas era isso, daqui a alguns anos, talvez eu veja as coisas de uma forma diferente e outras músicas apareçam, ou não (vamos caetanear).

=)

terça-feira, junho 12, 2007

Por que os mortos insistem em levantarem de suas tumbas afinal?
E justo num dia como esse?

Olha, hoje era para ter sido um dia feliz, afinal, o comércio fica malzão nessa época do ano. Nada como uma data comemorativa muito bem divulgada para aquecer as vendas! ;) Não sei se deu certo dessa vez... Mas, ainda confio na capacidade humana de seguir a multidão e comprar o que a mídia vende!

Podem dizer mil coisas a meu respeito por esse comentário, mas eu prometo escrever isso em todas as datas que tanto nos remete ao que é o capitalismo selvagem, só pra me redimir!

Quanto aos mortos:
Será que não têm mais o que fazer no plano celestial?
Pois saibam que aqui na Terra temos muito o que fazer, dêem nos um tempo seus "sem noção"!

hehehe
Parece até piada...

domingo, junho 10, 2007

- - -
You see? I heard a tick-tock, tick-tock, tick... talk to you on the phone.
Ring-Ring... though I know that nobody's home.
Why not? Why not I ask?
Why can't we be creative?
Why can't we be together?
- - -

- - -

You got to save us! S-O-S!

quarta-feira, junho 06, 2007

Observando o céu em uma noite estrelada, não podemos evitar a impressão de que estamos no meio de uma grande esfera incrustrada de estrelas. Isso inspirou, nos antigos gregos, a idéia do céu como uma Esfera Celeste.

Esfera

Com o passar das horas, os astros se movem no céu, nascendo a leste e se pondo a oeste. Isso causa a impressão de que a esfera celeste está girando de leste para oeste, em torno de um eixo imaginário, que intercepta a esfera em dois pontos fixos, os Pólos Celestes. Na verdade, esse movimento, chamado movimento diurno dos astros, é um reflexo do movimento de rotação da Terra, que se faz de oeste para leste. O eixo de rotação da esfera celeste é o prolongamento do eixo de rotação da Terra, e os pólos celestes são as projeções, no céu, dos pólos terrestres.

:)

terça-feira, junho 05, 2007

(...) "Um dia me disseram
Que as nuvens não eram de algodão
Sem querer eles me deram
As chaves que abrem esta prisão
Quem ocupa o trono tem culpa
Quem oculta o crime também
Quem duvida da vida tem culpa
Quem evita a dúvida também tem...tem

Somos quem podemos ser
Sonhos que podemos ter
" (...)

... Os caras disseram que a prisão somos nós quem criamos, que a culpa é coisa de cristão, ocultar crimes faz parte da vida, todos temos culpa, pois passamos a vida nos questionando, mas não somos todos cristãos, pelo menos a grande maioria que pensa e se questiona e por isso, segundo os Engenheiros, todos teríamos culpa...

=> Assim, Carl Marx, Max Weber (Geógrafo) e o Humberto estão errados!

=> E a todos que evitam a dúvida, esses são os verdadeiros seres de vida livre nesse mundo!

=> Mas numa coisa o Humberto estava certo: a juventude é uma banda numa propaganda de refrigerante!

E segue o baile!

quarta-feira, maio 30, 2007

Isso pode parecer um tanto pretencioso, mas raramente eu me apego a uma banda e depois descubro que as letras das músicas não dizem nada com nada, que são uma porcaria.

Há pouco tempo conheci uma banda chamada "Hot hot heat". Ouvia pouco. Logo que consegui todas as músicas de um álbum fiquei sem MP3 Player... Como não tenho tempo de ouvir música em casa...

Bom, de volta com o MP3 Player eu pude ouvir mais e melhor essas músicas do Hot hot heat e, simplesmente adorei.

Dia desses páro em frente ao computador, procuro as letras e... Não deu outra. O som tem tudo haver, identifiquei-me com muitas das letras. Uma em especial: "Oh, Goddamnit". É linda e a letra é muito legal. Parece comigo pelo fato de lidar de uma forma positiva com uma coisa tempestuosa., música e letra inconstantes.

"Bandages" também é muito boa. E de quebra ainda me lembra uma pessoinha muito "supimpa" para quem eu apresentei a banda e, ao que pareceu, agradou bastante.

"Talk to me, dance with me" deve também entrar pra lista das melhores desse álbum cujo nome eu esqueci.

Ontem, depois daquela prova de química "brrrrrr", na qual eu me saí muito bem diga-se de passagem, fui para o trabalho ouvindo mais um pouco de "Hot hot heat". O menino sentado ao meu lado no ônibus certamente pensou: "Que pessoa feliz! ...ou maluca". Digo isso por que eu estava muito faceira pensando na prova, ouvindo música e me questionando de muitas coisas. Assim, hora cantarolava me sacudindo, hora conversava sozinha, olhava para o horizonte... Refletia...

Dessas reflexões e mistura de sentimentos...

...resolvi muita coisa de domingo pra cá. Chega de tentar mudar. Vou mais é ser quem eu sou mesmo! Chega de dar valor a quem não merece, de me preocupar com o que não posso resolver, de ficar com os braços cruzados quando deveria resolver o que está errado e, principalmente, de deixar que pessoas tão importantes para mim se sintam deslocados, sentindo-se menos queridas do que realmente são enquanto eu tento salvar o mundo.

Chega de achar que as pessoas valem a pena, quando elas não estão nem aí. Ninguém muda, já deveria ter aprendido. Mas, antes disso, havia aprendido que é errado julgar os outros por mim mesma. Porém, cheguei a novas conclusões: é preciso aproveitar cada momento bom e nunca deixar um amigo assim... _o/_ Isso é muito mais precioso do que tudo.

Hum... Nada pretenciosa; as pessoas às vezes duvidam da minha capacidade de saber do que eu realmente gosto, ou o que quero; mas, modéstia à parte, nunca me decepciono comigo mesma!

=D

domingo, maio 27, 2007

Vazio e incertezas.
Não, a vida não é irônica...
...Não quero mais andar na contra-mão...
.

quinta-feira, maio 24, 2007

Sim!

A mente, o corpo e a alma agora estão alinhados e,

Juntos dizem que sim.

Tudo continua como antes:

O medo, a dúvida, a insegurança.

Porém, agora, tudo está contrabalanceado:

Se há medo, há coragem;

Se há a dúvida, há a certeza;

Para a insegurança...

Ah! Para essa a vontade de mudar,

De encontrar alguém tão urgente,

Intenso e ansioso.

Que encontre em meus olhos mais do que

Um olhar perdido;

Que tenha medo, dúvida,

Que seja tão inconstante

Mas que não saiba viver um segundo sequer

Sem mim.

***

Esse seria digno do "Deve ser assim", mas já não tenho mais acesso a ele... Fica aí a dica! ;)

quarta-feira, maio 23, 2007

"Eu não preciso disso pra viver, mesmo por que um dia chega ao fim
Eu não preciso disso pra viver, não! Não preciso de você"
"/ Pena que essa não está no repertório do acústico!
\o/ Eu vou ao Teatro São Pedro, eu!!! :D
.

segunda-feira, maio 21, 2007

Eis que houve uma programação. Mas, como tudo que é programado, as coisas não correram exatamente como deveriam... "/
Agora terei de ir com a Kátia para Alemanha! E ela que se vire para arrumar passaporte, passagem, hospedagem e tudo mais que for necessário. Eu poderia culpar mil pessoas aqui, mas todas tiveram os seus motivos... Menos a Kátia, a culpa é toda dela, sempre dela, dessa vez: indubitavelmente dela. >(
Lembro dos Rauls tocando Raul. Cara!!! A banda deles é muito boa mesmo!
Para os que gostam de rock, para os que sempre sonharam em tocar com a sua banda na sala de casa... Saibam que a Paranóia II faz isso há tempos e, dessa vez, pude conferir de dentro do AP 02 e não do andar debaixo, da minha sala, ou quarto, enquanto tentava assistir TV, ou dormir! =P
Rafael Zanatta estava de aniversário, ele é o Raul original. Quando entrei no AP estavam tocando Rolling Stones... A voz dele é muiiiito igual a do Raul Seixas - era estranho ouvir Stones com o sutaque do Raul. Nessa festa o Raul Original provou que é muito legal mesmo. E a mim, só cabe aqui um pedido de desculpas, nada mais!
Ah! Cabe também mais três ou nove pedidos de desculpas: aos outros Rauls, Godi e Muri (o que me odeia), e também ao Diego, que não é Raul.
Quero agradecer ao carinho e a atenção da Bióloga, não sei o nome dela! Agradeço também ao Columin, mais conhecido no 01 como "Negão". Ele mordeu o Ivan!!!! hauhauahua Eu também o teria mordido se fosse ele. O Negão fez o que tinha de ser feito! :)) Adoro crianças e animais!
E a Inês(quecível)!!! Não esqueci mesmo!!! :D
Espero que o menino da jaqueta amarela esteja bem! Eu e a Dessa a deixamos no varal! Tomara que ele a tenha encontrado... =/
Depois de tudo isso, bom! O vazio de sempre, agora com um significado bem sinistro, por que houve realmente um vácuo no meu cérebro. E dizem que até acordei para cantar um pouco de "Cowboy fora da lei"; que medo!
Mas nem tudo é festa!
Domingo foi o grade dia no ap 01, inauguramos finalmente aquela lareira! \o/
Depois de 6 tentativas, eis que eu consigo fazer o fogo vingar e ficamos aquecidas até bem tarde! :D É muito legal curtir o fogo assim. Dá pra refletir muito... Dispersar o pensamento... Bahhh! Ontem foi "o dia" no 01.
Que dias...
...terríveis!
E a dúvida que não quer calar é: afinal, quem convidou a Kátia hein??? Que saco essa guria!!!!
=P

sexta-feira, maio 18, 2007

"pensamentos sem conteúdo são vazios; instituições sem conceitos são cegas"
.

quinta-feira, maio 17, 2007

¬¬
... a foto!
Eu seeeeiiiii que não há ordem, são maaaaaaaais de mil imagens que passam por mim e aquiiiiiii faço a horaaaaaa, pra teeeeeeer o que não possso tocar com as mãos... Se você for assim, chegue mais perto agora-a-a, se convidado eu vim, quero falar sobre o filme que eu vejo e ninguém mais vê!! O Sooooooooooolllll não vai emboraaaaa...

Essa não pode passar em branco, nesse aspecto eu sou tiete e chata ainda por cima... Eu vou! \o/
Resta saber se vou sozinha ou vou arrumar nem que seja uma má companhia pra servir de figurante ao meu lado!

* E aê? Alguém se habilita? Nem precisa gostar... =P
EMPTY

Eu escrevi um texto... Mas, ficou o vazio!
Coisa sobrenaturais acontecem nesses computadores da MAT-UFRGS!
(EMPTY)

Cheio de nada, coisas, tudo que não tem e não faz sentido
É assim, que ficam as coisas
Coisa: definida como a indefinição de um objeto
Objeto: aquilo que será analisado, o foco
O foco agora é o nada, e por isso chamo de coisa
Dias que nada faz sentido
O sentido está em não existir nada que me tire da inércia sem objetivo
Olhar em volta, ver o quanto se tem, o que se perdeu
O resultado não importa, nada importa
Nada faz sentido, por que nada tem graça
Cores opacas, ofuscadas por luz demais ou escuridão em demasiado
Tons crus, sem graça
Qual o sentido?
Não tem sentido, falta motivação
Tudo está como sempre...

Só o vazio

"uuuuuu gatu pretu cruzou a straadaaaa, passsssouuuuu por debaixo da sca-aada, e lá no fundo azuuuul da noite na florestaa, a lua ilumino-o-ouu a nossa moda festa - a vira-vira-vira vira-vira-vira vira-vira ômi vira-vira-vira lobisôme"

Isso me ocorreu ontem à noite quando mais um disputa de quem sabe mais e gritarias de discussões sem sentido iniciaram-se à minha volta impedindo-me de estudar para a prova de hoje. O que não me impediu de responder todas as questões banais da prova e, como de costume no ensino médio, enrolar os professores de geografia com meus argumentos e conclusões com base naquilo que eles nos passaram em aula.

Certamente foi isso o que me fez ir pra Física e não para a Geografia, é muito fácil enrolar em Geografia, coisa meio impossível na Física, ahhhh cálculos malditos que me afastarão de casa!

Ahhh, por que tenho que ser assim?
Cadê o sentido disso...

quarta-feira, maio 09, 2007


Então!


Eis que a clássica Terça Clássica com Rola Stones volta ao 8 1/2. Fiquei em dúvida se iria ou não e, pra que não acontecesse como na terça da Janis em que fiquei naquele "vai não vai", fui!


E antes tivesse economizado aqueles R$10,00 (aumentou o custo do ingresso). Aquela banda é ruim, ou estavam muito ruins ontem. Os caras nem set list tinham, talvez tenha sido esse o motivo da quantidade de caca que eles fizeram. Tocaram muitas músicas chatas. Claro que quem gosta de Rolling Stones até que se divertiu, quem é fã se irritou e eu, que não sou lá uma entendedora do assunto: achei um saco! =S


O fato é que, eu sei que os Rolling Stones tem muuuuuitas músicas super dançantes e que dá pra se divertir horrores numa festa assim, mas os caras só tocaram aquelas músicas horrendas, ahhh não! :O E nos intervalos nem tocou rockabilly!!! Onde esse povo está com a cabeça?!?


Enfim... O que salvou a noite foi que saímos do 8 1/2, compramos um vinho, fomos pra casa, fizemos uma pipoca de micro e ficamos filosofando até às 4h30min da madrugada. Discutir, debater e perceber que estamos, enfim, entre amigos é sempre muito bom.


Fazia tempo que não conversava tanto e tão seriamente com a Vanessa; que saudade daquelas tardes no shopping em que pegávamos uma casquinha no Mc, sentávamos num ponto estratégico e, entre um assunto e outro, avacalhávamos com o povo feio, pobre, metido a consumista e irritante daquela cidadezinha! =P


Estamos nele, mas não sentimos orgulho em fazer parte desse sistema! ;)


* como eu ando revoltada ultimamente! =P


sexta-feira, maio 04, 2007


Uma semana sem o meu MP3 Player

* Está sem os fones. Antes que mais alguém me pergunte o preço de um fone, eu respondo: o preço do fone eu nem sei, não que eu seja rica, mas o meu problema não é falta de dinheiro, é de tempo. Sim, porque quero um fone bom e até achar um com o preço justo... Preciso de tempo! =/

Voltando ao assunto...
Uma semana sem o meu MP3 Player, o que significa que estou esse tempo todo sem ouvir música, por que em casa não tenho tempo, sou um vegetal, ou durmo ou estou na rua... Bem, todo esse tempo sem música e recebo esse e-mail:

"And I wonder, still I wonder, who'll stop the rain..." - E eu amo essa música! ;)





Sim crianças, esses são os caras do "Creedence"!!! Pra quem achou que o cara de óculos fosse o Mick Jagger, bom, sinto informá-los que não é. Mas é compreensível o equívoco, visto que certamente eles contrataram o mesmo cirurgião plástico! =P


Abaixo a magnífica Janis!!! =( A foto aqui é uma homenagem aos bobalhões do 8 1/2 que não anunciaram a melhor terça clássica!!! Pelo menos eu acho que é a melhor, depois da do Creedence (Creedentials). O Dino é tudo!!! ;)





Essa mulher era demais...Loka demais!! E ótima artista. Do tempo em que existiam artistas de verdade nesse mundo miserável!
:)

quarta-feira, maio 02, 2007

A vida acontece em ciclos e, a cada dia, semana, mês ou ano que se passa, mais eu me espanto com a forma como isso se mostra real no meu dia-a-dia. Hora são pessoas do passado voltando, outrora novas pessoas que parecem apenas terem trocado de roupa e de cara, mas, que no fundo, são idênticas aquelas pessoas do passado.

Mas, isso não importa!

Muito já discuti com pessoas sobre isso, e sempre se chega a conclusão alguma. Pra mim a explicação é muito clara, são aos meus olhos que essas coisas acontecem, ou seja, ainda é o mesmo observador olhando a tudo isso. Não existe a perplexidade, apenas a constatação de que eu continuo a mesma. Por que existem coisas na gente que não mudam.

Na ansiedade de me explicar em uma dessas discussões usei erroneamente a palavra essência, mas acabei chegando a palavra que realmente explica o fato de que não mudamos: nosso caráter.

Não existem mocinhos ou vilões, eu posso vir a cometer um crime, posso fazer amanhã algo que hoje, pra mim, é errado. Entretanto, existe uma coisa chamada "peso na consciência", e é aí que entra o nosso caráter. Por que se eu cometer um crime, dependendo do crime, posso vir a me arrepender, posso me culpar pelo resto da vida e me sentir mal para sempre por tê-lo cometido. É o preço por ter agido de uma forma tão contrária a que considero correta.

É claro que o meu caráter pode não me impedir de fazer certas coisas, mas a certeza de que vou acabar me arrependendo pode. Por que, são poucas as pessoas que podem agir contra os seus princípios e, depois, deitar a cabeça em seus travesseiros e dormir tranqüilamente. As sem caráter conseguem. Está aí a essência da qual eu tanto me esforcei em explicar... transformei-a em caráter! Isso não há como negar, está em nós e podemos carregá-lo até o "fim".

Mas, essa situação pode mudar, é claro!

Algo que nos perturbe por muito tempo pode fazer com que mudemos de opinião, desafiemos nossos limites e passemos por cima de nossos princípios... Já não há mais sono, não há mais paz, então: por que se preocupar? Fazemos então aquilo que estiver mais próximo do que considerarmos necessário a cada momento de decisão; uma folha seca ao sabor do vento... E assim seguimos.

Não estou nem perto de fugir do que acredito que seja certo. Mas vivo tomando decisões que mais tarde me desagradam. Por que, nem só de princípios vivemos, existem tantas outras coisas que nos acontecem e nos perturbam, tiram-nos o sono... Coisas tão menos interessantes do que cometer um crime, no entanto, parece que machucam muito mais, nem sempre por um longo período de tempo, mas o tempo suficiente para nos enlouquecer.

Tudo muito parecido, mas tão diferente, com o mesmo resultado. Coisas que a matemática ou qualquer ciência exata jamais poderá explicar.

É bem provável que esse post tenha ficado ainda mais confuso que o anterior e "eu nem ligo"!

Uma coisa é certa: "I'll never gonna be the same again"...
.

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...