sábado, junho 27, 2015

MINDLESS SELF INDULGENCE, PINK!!!

Hoje vou falar de uma banda pra lá de "polêmica", não que eles se envolvam em polêmicas como as celebridades do mundo do Rock, mas pelo estilo indefinido e louco. A Mindless Self Indulgence acaba de anunciar o lançamento de Pink, um álbum "perdido" da banda, gravado antes de tudo, nos anos 90. As minhas expectativas para esse trabalho não é das melhores, mas se for surpreendida, ok!


A Mindless Self Indulgence é difícil de classificar por mixar bastante as músicas. De modo geral dizem que se trata de uma banda de Punk (menos) e Rock Industrial (mais) estilo advindo do post punk, misturando um pouco de eletrônica nessa "salada". O resultado é chato para quem curte ou Punk Rock ou Eletrônica, mas deve agradar quem curte Rock Industrial.

Esse estilo não é a minha praia, e nem posso dizer ao certo se gosto ou não. Eu tive contato com a banda por conta da baixista Lyn-Z, que é casada com Gerard Way da banda My Chemical Romance (sim, eu ouço essas coisas). Por curiosidade, busquei a MSI pra ver como era e acabei gostando de alguma coisa. É um tipo de música que pode não agradar de cara, mas tem algumas situações que "pedem" um estilo assim, barulhento e doido.

É bom ouvir MSI quando se está em situações inquietantes, no meu caso: filas (de banco, ou serviços públicos e/ou indignantes), trânsito lento, transporte público lotado, ou quando se quer simplesmente esvaziar a mente. Isso porque as músicas não seguem uma linha melódica, a mudança constante e a frenética mudança de elementos vai distraindo e quando vê relaxa. Essa foi a lógica que encontrei, por isso sempre tenho no meu player alguma coisa deles para ouvir.

A banda tem cinco álbuns de estúdio, e alguns de remixes (que são cansativos - na minha humilde opinião - portanto desnecessários. E de cada álbum tem algumas músicas que eu não gosto, mas escuto. Essa banda é do tipo ame-me ou me odeie - ou fique tentando me entender. Ainda estou tentando! :P

Como sempre acho que o primeiro álbum tende a ser mais verdadeiro, por isso, melhor. Talvez expliquei o fato de "Tight" não ser o melhor na minha opinião. Acho esse álbum muito confuso. Percebe-se uma evolução da identidade da banda a cada Álbum, depois da confusão em Tight, "Frankenstein Girls Will Seem Strangely" veio todo com influência eletrônica, num misto de "Atari Teenage Riot" com "Rammstein" (não gosto); depois vem "You'll Rebel to Anything" que começa a ficar bom e o melhor, sem dúvida é o "If", de 2008. 


E em 2009 vem o álbum "How I Learned to Stop Giving a Shit and Love Mindless Self Indulgence", o que dizer? Veio a bagunça de novo! Umas músicas muito ao estilo dos dois anteriores, e um pouco de eletrônico. Mas, é bem melhor do que o "Frankenstein Girls Will Seem Strangely" e dá pra ouvir sem querer se jogar de um prédio, mas às vezes pode causar uma vontade de sair chutando um pouco.

Algo que ainda não mencionei sobre o MSI é a atitude dos seus integrantes, e isso conta muito. Muito confiantes de enérgicos, certamente têm uma vibe muito boa e os shows parecem incríveis. A galera realmente enlouquece. E acredito que boa parte dos fãs tenham sido conquistados em função disso.

Abaixo misturei um pouco, em vez de postar vídeos (como de costume), misturei com a lista deles no Soundcloud. Confere, nem que seja pra dizer que odiou!


Never wanted to dance, pra sentir o clima do "If":



Pay for it, live. Reparem na baixista!



Shut me up! Bem pop se comparada das demais.




Anonymous - Louca e famosinha nos shows!



E era isso!
:)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...