sexta-feira, março 10, 2017

Resenha: O Signo Dos Quatro, por Sir Arthur Conan Doyle

Bem, essa história de Sherlock Holmes é a segunda das aventuras do detetive contadas por Sir Arthur Conan Doyle. E a "pessoa" aqui fez a besteira de ler, antes do Signo dos Quatro, outros dois livros: "O cão de Baskervilles" e "O vale do terror".

E foi uma besteira porque nesses outros livros, já há um entrosamento entre Sherlock e Watson, sugerindo que já convivem há mais tempo. Além disso, essas duas histórias me deram uma desanimada com a série, o que foi rapidamente desfeito ao ler "O signo dos quatro" (ainda bem que resolvi fechar a primeira "leva" de quatro livros). Quando terminei de ler "O vale do terror", fui pras internê descobrir a ordem certa dos livros e descobri essa questão dos quatro primeiros.



Neste segundo livro da série, Sherlock tem sua personalidade mais bem apresentada, suas fragilidades expostas a flor da pele. Watson descreve o vício do seu amigo, o seu incômodo por esse mau hábito, e dá a Sherlock a chance de se explicar. É quando entendemos que todo seu brilhantismo tem um custo, ou um lado negativo. Gostei muito da forma como o problema é explicado, em meio aos acontecimentos, e ao final deles.


O livro é brilhante!

Acho que esse é melhor ainda do que a primeira história do Sherlock Holmes, "Um estudo em vermelho" (leia a resenha aqui!). É certamente onde os personagens do detetive e seu amigo melhor se apresentam. E o caso é contado sem enrolação. Adorei!

Eu vinha dos outros dois livros com uma vontade de abandonar a série, eles são uma enrolação só. Eu perdia a curiosidade de saber o desfecho da história de tantas vezes que ela se repetia. No fim, quando o caso é resolvido, vinham histórias que nada tinham a ver com Sherlock e foram loooooongas. Muito massante!

Já em "O Signo Dos Quatro" tudo voa, e a curiosidade aumenta, chega meio que a resolução, e depois fica a ansiedade com a caça do culpado e o encerramento do caso.


O padrão nos livros de Sir Arthur Conan Doyle

Embora tenha lido "O cão de Baskervilles" e  "O vale do terror", não cheguei a escrever resenha longa aqui no blog, me contentei com as resenhas no Skoob (aliás, quem quiser, pode me seguir por lá também). Isso porque identifiquei um padrão nas histórias de Sherlock Holmes criadas por Doyle. Sempre iniciam com o recebimento de um caso, depois a investigação, a explicação do Sherlock sobre as suas deduções, a solução do caso, a prisão do culpado e a história que levou ao crime, coisa que, obviamente, Sherlock Holmes não tem como saber.

É claro, há de se considerar que esses livros eram na verdade novelas publicadas em jornal diário. Então é compreensível que elas tenham uma fórmula e um estilo próprio para cativar os leitores, e isso não desmereceu as obras até aqui. Os casos são bem elaborados, a perspicácia de Sherlock bem fundamentada, tudo certo.


Até aqui, recomendo a leitura dos romances, até dos dois últimos (não tão brilhantes). Adicionei a mini resenha deles aqui também, caso alguém fique curioso, mas com preguiça de ir no Skoob ler. 

"O cão dos Baskerville" se passa em um período em que Watson e Holmes estão já bem entrosados, tendo passado por muitos casos, e as histórias escritas pelo companheiro de Sherlock fazem sucesso na Inglaterra. A fama do detetive trás esse caso vindo de uma cidadezinha do interior e Sherlock fica empolgado com o mistério aparentemente sobrenatural.

A forma como a trama vai se desenrolando e trazendo novos elementos o tempo inteiro, bem como os altos e baixos, emoções e mistério que vai ficando mais complexo é o ponto alto em O Cão de Baskerville. É emocionante às vezes. Apenas o resumo final, depois que o caso é resolvido que eu achei mais monótono, mas vale a leitura. Adorei o mistério!


Por hora vou dar um tempo nos livros de Sherlock Holmes, mas prometo voltar à série, assim que terminar outros livros que estão "na fila".


Quanto ao "O vale do terror", a primeira parte é ótima, já a segunda...

Este é o terceiro livro que leio de Sherlock Holmes, e já percebi o padrão das histórias. É bom, mas foi um pouco previsível em alguns momentos. Eu meio que esperava pela reviravolta, ainda que não tivesse ideia de como seria o desenrolar da trama.

O caso se encerra com a primeira parte do livro, que é seguido por uma nova história contada em notas deixada pela vítima da primeira parte. E é bem cansativa. Deixa de ser Sherlock e vira uma nova história, sem muito mistério.

Esse recurso é semelhante ao que foi usado no "O cão de Baskerville", só que neste outro a história era mais interessante.


E se mais alguém aqui tem dúvida quanto a ordem certa dos livros com as aventuras de Sherlock Holmes, segue a lista!

Romances

Um estudo em vermelho - (A Study in Scarlet) - romance publicado em 1887.
O signo dos quatro - (The Sign of the Four) - romance publicado em 1890.
O Cão dos Baskervilles - (The Hound of the Baskervilles) - romance publicado em 1901.
O vale do terror - (The Valley of Fear) - romance publicado em 1915.


Contos

As Aventuras de Sherlock Holmes (The Adventures of Sherlock Holmes): série de 12 contos publicada em 1892.
Memórias de Sherlock Holmes (The Memoirs of Sherlock Holmes): série de 11 contos publicada em 1894.
O Retorno de Sherlock Holmes (The Return of Sherlock Holmes): série de 13 contos publicada em 1905.
O último adeus de Sherlock Holmes (His Last Bow): série de 8 contos publicada em 1917.
Os Arquivos de Sherlock Holmes (The Case-Book of Sherlock Holmes): série de 12 contos publicada em 1927.



=P

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...